EVANY NASCIMENTO: BIBLIOTECAS PARTICULARES


O mês de outubro foi intenso de postagens e informações sobre o Movimento Abre Biblioteca e as providências (?) do governo para a reabertura da Biblioteca Pública do Amazonas. Porém, encerro esse período feliz por começar novembro falando de bibliotecas que visitei (que é o que mais gosto de fazer) e com uma nova seção: Bibliotecas Particulares.

Nesse novo espaço, tenho por objetivo revelar a existência de um universo amplo de bibliotecas que ficam restritas aos seus proprietários, ou talvez a alguns poucos amigos destes, mas que por aqui teremos a oportunidade de conhecer. 


A ideia de começar essa seção era antiga, faltava porém a oportunidade e ela veio quando há poucos dias, tive o privilégio de visitar a casa da amiga Evany Nascimento que estudou comigo nos tempos de mestrado e nos dias atuais é uma das mais aguerridas parceiras do Movimento ABRE BIBLIOTECA.  

Evany é Doutoranda em Design na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro  e é uma pessoa muito estudiosa. Entre outras coisas, desenvolve pesquisas, consultoria e oficinas nas áreas de arte-educação, memória e patrimônio, história da arte e semiótica da imagem, cultura e consumo.

Sempre soube que Evany se amarrava em livros, contudo não pensei que possuía tão relevante e bem cuidado acervo.  Na última contagem, segundo ela "haviam 860 títulos, mas alguns já foram doados e outros foram adquiridos. Será necessário um novo balanço para saber a extensão do volume."





Sua Biblioteca é formada por livros de História da Arte, Arte Educação, Designe, Cultura (música, dança, arte terapia),Cidade e Urbanismo, Amazoniana e Literatura Brasileira, com ênfase para a Literatura Infantil.   Há ainda livros de referência como uma Barsa e um bom acervo multimídia. 

As origens da formação da Biblioteca remontam o ano de 1995 quando deu início ao curso de Educação Artística na UFAM, mas é possível reconsiderar esse marco com o "Novíssimo Curso de Língua Portuguesa", coleção completa em três volumes (editados em 1982), que foram presentes de sua mãe quando ela ainda frequentava o ensino fundamental, mas que ainda fazem parte do acervo.  

Perguntei a Evany quais seus livros preferidos, mas ela afirmou ser muito difícil definir, porém destacou que possui muitos autografados e tem especial atenção pelos livros de artes comprados em viagens, como por exemplo, os que adquiriu em Roma e Grécia. 


Mas vou logo avisando. Apesar de ser uma biblioteca organizada, não está aberta a consulta, mesmo a proprietária possuindo um caderno de protocolo onde registra o empréstimo restrito a poucos... 


O final da visita à casa da Evany foi delicioso e confesso que eu já alimentava o desejo de conhecer a culinária que ela todos os dias apresenta para azucrinar os internautas no Facebook com lindas imagens de pratos preparados por sua mãe. Eu tive a sorte de provar uma saborosa banda de tambaqui...


Obrigada Evany pela recepção e por compartilhar sua biblioteca conosco! E aproveito para mais uma vez agradecer a sua mãe, dona Francisca pela deliciosa e cobiçada refeição.


Fotos: Soraia Magalhães (ainda com a câmera em estado lastimável).
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário