BIBLIOTECA NACIONAL DA SUÉCIA - KUNGLIGA BIBLIOTEKET



Em setembro de 2012, quando visitei a Biblioteca Nacional da Suécia (Kungliga biblioteket), o edifício estava em obras, mas um cartaz com uma jovem sorridente convidava todos a entrar. 

E eu me senti absolutamente privilegiada por ter a oportunidade de conhecer de perto alguns dos espaços dessa impressionante Biblioteca, inclusive ambientes reservados graças a gentileza do Arquivista Fernando Sequeira e da Bibliotecária Catharina Melldahl que atenciosamente nos receberam na Instituição.

Diferente de outros posts, onde apresento considerações sobre o espaço, dessa vez o texto foi produzido pelo próprio Fernando Sequeira que apresenta de forma muito clara um pouco do que a Biblioteca Nacional da Suécia tem a oferecer.

******

A Biblioteca nacional da Suécia

Por Fernando Sequeira

A Biblioteca Nacional da Suécia chama-se em Sueco Kungliga biblioteket (Biblioteca Real). A Biblioteca recolhe e preserva todo o material de audio, vídeo e impresso publicado na Suécia.


As coleções da Biblioteca Nacional estão ao acesso de todos, mas principalmente dirigidas à investigação científica. O material da coleção Sueca não pode ser emprestado, apenas podendo ser estudado “in loco”. A maior parte do material encontra-se armazenado e deve ser solicitado com antecedência.


As coleções

A Biblioteca Nacional conta com mais de 20 milhões de artigos. Para além dos livros, existem cartazes, fotografias, impressos e manuscritos. A coleção audiovisual é composta por mais de 8 milhões de horas de registro. A Biblioteca Nacional administra documentos/ coleções pessoais entre outros de Astrid Lindgren, August Strindberg e Dag Hammarskjöld.

Depósito legal

Segundo a atual legislação em vigor, em termos de Depósito legal, todos os materiais impressos que se difundam na Suécia têm que ser enviados para arquivo, uma cópia de cada obra publicada, para a Biblioteca Nacional e para mais 6 outras bibliotecas de investigação. Os editores de música, cinema, televisão e radio têm, que de maneira similar, entregar cópias para a Biblioteca Nacional. Exceções existem em alguns casos no que diz respeito a parte de transmissões.

A Lei de Depósito legal tem origem em 1661, tornando obrigatório que todas as imprensas na Suécia enviassem cópias para arquivo de cada publicação impressa, uma cópia para o Arquivo Nacional, que em Sueco se chama Riksarkivet (Arquivo do Reino) e outra para a Biblioteca Nacional. A lei fez-se mais para controlar a opinião pública do que para preservar e conservar os documentos para futuras gerações.


Material electrónico

A partir de 2012 a Lei de depósito legal inclue materiais electrónicos, digitais. Isto significa que os editores de publicações periódicas (jornais e revistas) e algumas publicações digitais devem entregar o seu conteúdo para arquivo à Biblioteca Nacional.


Cooperação com outras bibliotecas

A Biblioteca Nacional coordena as bibliotecas financiadas com fundos públicos (estatais) na Suécia. Por exemplo, as bibliotecas públicas, escolares e universitárias. Isto inclui a negociação de um acordo de licenças chave para facilitar o acesso a diferentes bases de dados.

A Biblioteca Nacional coordena também uma série de sábios/expertos e grupos de expertos que trabalham com temas relacionados com as bibliotecas de todo o mundo, por exemplo, em digitalização, em sistemas de classificação e de catálogo comum Libris. Organiza também cursos de formação e apoio aos projectos relacionados com a Biblioteca Nacional.


Autoridade

A Biblioteca Nacional é uma entidade pública regulada pelo Ministério da Educação. O chefe da Biblioteca Nacional tem o título de Bibliotecário Nacional (Riksbibliotekarie=Bibliotecário do Reino). Gunilla Herdenberg é, desde 2012, a Bibliotecária Nacional.

Biblioteca de investigação

A Biblioteca Nacional é também uma biblioteca de investigação em Humanidades, adquirindo literatura acadêmica em vários idiomas.

Visitas

A Biblioteca Nacional encontra-se situada no parque Humlegården, no centro de Estocolmo e está aberta ao público. Qualquer pessoa maior de 18 anos, que possa identificar-se, pode solicitar material das coleções. Para as coleções audiovisuais aplicam-se regras especiais. Existem também regras especiais para as pessoas que não residem na Suécia ou que não possuam um bilhete de identidade Sueco.

Estocolmo, 31 de Agosto de 2012.

Tradução livre, de Fernando Sequeira Silvestre/Arkivarie, de översättning av Space 360 AB/Uppdragsnr: KB-35311-11SP/Org.nr. 55654-4897/Certified enligt SS-EN ISO 9001:2008


******


Posso definir a experiência com a visita a Biblioteca Nacional da Suécia como uma das mais marcantes desde que dei início as aventuras com o Blog Caçadores de Bibliotecas, pois além de maravilhar meus olhos por aspectos de arquitetura, serviços e acervos me senti muito bem recebida.


Deixo como lembrança duas fotos especiais desse momento, com Fernando Sequeira e Catharina Melldahl e aproveito para agradecer a ambos pela atenção dedicada. Fernando, inclusive se predispôs em posar com o cartaz do Movimento Abre Biblioteca, contribuindo assim na luta pela reabertura da Biblioteca Pública do Amazonas, fechada há mais de cinco anos para reforma.


Fotos: Soraia Magalhães e Peter Janzon
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário