BIBLIOTECA CASANATENSE - ROMA - ITÁLIA


Para os apaixonados por história e arqueologia, a Itália pode ser um país de sonhos e para aqueles que além disso, amam também as bibliotecas antigas, a cidade proporciona momentos de magia. Foi com essa percepção que conheci a Biblioteca Casanatense.


Fundada em 03 de novembro de 1701, pelos dominicanos do Mosteiro de Santa Maria Sopra Minerva, em Roma, o local é de tirar o fôlego pela beleza.



De acordo com registros históricos, o espaço foi aberto ao público em geral, por vontade do Cardeal Girolamo Casanate que cedeu sua coleção particular dotada por cerca de 25.000 volumes. Tempos depois foi construído o espaço atual, especialmente para a biblioteca.


Possui acervo composto, por aproximandamente 400 000 volumes, cerca de 6 000 manuscritos e 2 200 incunábulos, bem como manuscritos medievais e bíblicos.


Foi por indicação da Bibliotecária Nicoletta Muratore, da Biblioteca Angelica que soubemos de sua existência. Quando lá chegamos, minha amiga Astrid Lima e eu, tivemos a enorme sorte de encontrar Simone Purugia, responsável pela Biblioteca, que de forma muito apaixonada e atenciosa, nos deu uma verdadeira aula sobre a história do local, do acervo e de detalhes diversos.


As estantes são enormes e seguem por dois andares. É fascinante ver a coleção de livros, com títulos latinos indicando as classificações. De acordo com Simone, os livros nas estantes foram colocados objetivando oferecer beleza e harmonia ao espaço. Os maiores e pesados eram posicionados na parte de baixo, os menores e leves na parte superior.

O teto todo branco, tinha por fim criar equilíbrio, com a iluminação proveniente de grandes janelas  posicionadas em acima das estantes.



Chama logo a atenção, dois enormes globos, sendo um terrestre (com informações do que era conhecido naquele período das terras de todo o mundo) e o outro, um globo astrológico. Ambos foram totalmente pintados a mão em 1716, pelo cartógrafo Amancio Moronceli. Um detalhe desse trabalho diz respeito as informações contidas sobre os aspectos territoriais do Brasil.



O espaço que apresento da Biblioteca Casanatense nos dias atuais, funciona como um museu. O local não tem mais a função de sala de leituras, contudo há várias outras salas destinadas ao público que objetiva realizar estudos e pesquisas utilizando o acervo da Biblioteca.

Atualmente, o antigo salão de leitura da Casanatense é palco de várias atividades culturais. O lugar é realmente especial e fiquei muito feliz por conhecê-lo. Aproveito o ensejo para apontar que essa foi uma das mais bonitas bibliotecas antigas que conheci até o momento...

Agradeço à Simone Purugia pela atenção e disponibilidade em nos apresentar a Biblioteca Casanatense, bem como a querida Astrid Lima, por me levar ao local, traduzir as informações e pela maioria das belas fotos aqui contidas.



Hoje é o meu último dia na Itália, meu último dia na Europa. Registro porém, minha gratidão a todos que contribuíram para que esse tempo fosse marcante.

Agradeço especialmente aos amigos da Itália Astrid, Andrea e Mateo e da Suécia, o querido Peter Janzon, por tudo!

Fotos: Astrid Lima

Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário