SKANSEN - ESTOCOLMO


Se tivesse que escolher qual o espaço museológico que mais aprecio em Estocolmo teria certamente dificuldades, tendo em vista que a cidade reúne museus incríveis, contudo sem dúvidas, Skansen estaria entre os cinco favoritos por oferecer uma compreensão muito ampla do modo de viver do povo sueco, numa estrutura impressionante ao ar livre, em ambientes muito bem preservados.


Skansen é considerado um museu á céu aberto, foi o primeiro desse tipo a ser criado em 1891. Seu fundador, o estudioso, folclorista e professor sueco Artur Hazelius foi responsável também pela fundação do Museu Nórdico, já comentado nesse espaço.


Acima deixo uma imagem com mapa da área com suas atrações. O lugar é enorme e por isso recomendo reservar pelo menos um dia para aproveitar um pouco de tudo o que Skansen tem a oferecer, pois pode ser uma experiência incrível para adultos apaixonados por história, arquitetura, meio ambientes e tradições; mas também por adultos com suas crianças pois o lugar oferece muitas opções de lazer para os pequenos. 


Skansen, esse ano completou 125 anos e durante o mês de outubro ocorreram várias atividades visando comemorações da data. Eu ainda estava em Belo Horizonte quando Peter me enviou o link falando das comemorações e apontando que era possível contar por meio de um vídeo o carinho pelo lugar. Sabendo o quanto Skansen é especial para nós dois fiz um vídeo, que retrata momentos felizes passados ali, bem como um pequeno texto, ao qual reproduzo abaixo:  
Conheci Skansen por meio das descrições feitas por Peter Janzon, no período em que nos encontramos pela primeira vez em Manaus, no Brasil. Peter havia me contado que o lugar reunia muito das tradições suecas e povoou minha imaginação contando sobre as casas originais trazidas de várias partes do país. O tempo passou e somente no verão de 2012 tive a oportunidade de conhecer Skansen e assim passei a ter mais entendimento e carinho pelas histórias que Peter me contava de sua infância, como por exemplo, sobre o dia em que seu pai o deixou em uma tenda sami e ele ficou quietinho, junto ao fogo e até dormiu. Ou quando brincava no labirinto. Quanto a mim, o que mais gosto de Skansen? De tudo, especialmente dos bailes folclóricos, das festas em Galejan, de Cantar Juntos. Adoro percorrer as trilhas e admirar as lindas vistas em meio à natureza preservada em todas as Estações. Não sei se essa carta vai ser lida, contudo quero expressar que aqui no Brasil, há um coração que tem lindas lembranças vividas em Skansen. Para o aniversário desse lugar querido, preparei um pequeno vídeo que traduz a alegria que Peter e eu vivemos nas diversas vezes em que estivemos ali.
Alguns dias depois, para minha surpresa e alegria, recebi um email que dizia que o vídeo havia sido selecionado como vencedor e que havíamos ganhado entradas para Skansen e Skansen Aquarium. Muito legal, pois eu nem sabia que participava de uma competição. 


Tive a oportunidade de estar presente em Skansen exatamente no seu aniversário, no dia 11 de outubro de 2016. Foi bonito ver que nesse dia, o fundador Artur Hazelius e sua assistente Sigrid Millrath, estavam ali como personagens caracterizados. Claro que quis fazer fotos com ambos. 


Para alguém apaixonada por museus impossível não referendar o valor do feito do senhor Artur Hazelius que conseguiu com sua iniciativa preservar tanto das belezas arquitetônicas e culturais da Suécia.


Ainda sobre as pessoas que trabalharam pelo empreendimento, foi bom ver o nome de uma mulher envolto nas memórias. Sigrid Millrath, foi o que se pode dizer, o braço direito de Artur Hazelius. Uma entusiasta que deixou inclusive um livro de memórias, contando sobre sua relação com Skansen. 


Skansen é um lugar em que se pode regressar muitas vezes, pois creio sempre oferece novos olhares, novas nuances por reunir em um mesmo espaço inuméraveis atrativos. Eu já estive em Skansen muitas vezes e tenho amplos registros fotográficos desses momentos. Como por exemplo, quando subimos por meio desses tipos de bondinhos que transportam os visitantes numa aventura que tem duração de dois minutos e meio...


Mas o que tem de tão interessante em Skansen? Muitas coisas, mas posso iniciar com as casas! Elas vão além de habitações familiares, cada tem sua própria história. O acervo de casas é formado por cerca de 150 exemplares de construções trazidas de várias regiões do país. Tudo foi desmontado e remontado em Skansen. Era desejo de Artur Hazelius, reunir o maior número possível de materiais que pudessem recriar a memória da tradição rural sueca em decorrência das mudanças que vinham ocorrendo com a industrialização. 


Algumas das casas retratam muito da vida e do trabalho e em sua essência original, foram edificadas para funcionar como oficinas, tipografias, farmácias, nos dias atuais ainda se apresentam com profissionais, que com vestimentas de época, realizam ofícios explicando como era o trabalho em outros tempos.


Dá pra perceber pelo formato do livro na imagem da casa acima, que ai funcionou uma tipografia? Para instigar desejos para os amantes dos livros, digo que nessa casa estão reunidos vários maquinários de impressão. Essa Officina Typographica, existiu efetivamente em Södermannagatan em Estocolmo. 


A partir daqui deixo alguns exemplos de casas que se diferem por estrutura, idades, tamanhos e histórias. Para saber mais consulte aqui no site de Skansen, eles contam muito sobre esses lugares


Gostei especialmente dessa casa amarela, pois esse modelo foi construído para servir como espaço cultural e de entretenimento em diversos lugares da Suécia. Nessa, em específico há no térreo ampla sala, cozinha, despensa e uma sala de projeção para filmes. Há livros e imagens de escritores em várias partes da casa. Foi uma forma adotada pelo poder público para criar estrutura de diversão para os moradores das cidades que se entretinham muito com bebidas alcoólicas. 


As casas estão por todos os lugares e há exemplares que fizeram parte de fazendas e casas rurais!


Bem como há exemplares de lindas casas pintadas em vermelho, como essa com janelas e bordas brancas . Um encanto...


Há centenárias casas com telhados verdes! 


Algumas casas curiosas, como essa montada com estruturas de árvores que se parecem patas...


Ou essa casa em formato de tenda estruturada com estacas, reflete sobre o modo de vida do povo Sami. Durante o inverno é possível adentrar e usufruir do calor de uma fogueira, bem como ouvir sobre a cultura e as tradições desse povo.

Na imagem acima é possível perceber três tipologias de habitações na Suécia.  


Não posso deixar de destacar que Skansen é belíssimo em todas as estações. No verão, tudo fica mais vibrante, mas quando chega o outono as cores da natureza se projetam por sobre todos os espaços ali preservados colorindo com abundancia as belíssimas trilhas.  E quando vem o inverno, a neve torna os caminhos belos e luminosos. No período de natal acontece uma linda feira com barracas, produtos e gente vestida com roupas de uma Suécia que existe hoje, somente em Skansen. 


Em Skansen tudo pode ser fotografado, praticamente não existe restrição quando as casas estão abertas. Em alguns períodos do ano algumas casas podem estar fechadas, mas sempre há muito pra ver e o lugar pode render fotos maravilhosas, inclusive com vistas para outras áreas de Estocolmo. 


No verão, uma das coisas mais bacanas para se experimentar em Skansen é assistir a um programa Allsång på Skansen (Cantar Juntos em Skansen) e apreciar a alegria dos suecos com suas canções. Tudo em Skansen ecoa tradição e esse programa, que teve origem em 1935, até hoje é um grande sucesso.


Outra coisa belíssima do verão são as apresentações das danças folclóricas. Com suas roupas típicas, os dançarinos apresentam movimentos que contam bonitas histórias de tempos idos. Não pensem que é uma dança fácil, eu tentei aprender. É cheia de detalhes!


Poderia seguir escrevendo muito sobre Skansen mas creio exagerei um pouco, contudo não posso deixar de referendar que ali dentro está o Museu do Tabaco, ou que o ticket de entrada para Skansen oferece também a possibilidade de conhecer o Museu Biológico. Ambos são muito especiais, inclusive no Museu do Tabaco se pode ver o maior charuto do mundo...


Uma boa dica: se você for a Skansen com crianças, pode ficar feliz pois para elas terãm um montão de coisas especiais, há inclusives brinquedos modernos, interativos, mas também brinquedos antigos, como esse parque de diversão (foto acima), ou  esse labirinto (foto abaixo) construído com pedras.


Em Skansen, no verão há flores por todos os lados que nos acolhem com seus tons coloridos, o lugar está cercado de jardins que reunem diferentes quantidades de plantas.


Vale destacar um espaço reservado para o renomado cientistas sueco Carl Von Linné, responsável por desenvolver importantes estudos sobre sistema de classificação, ou taxonomia moderna. Linné foi botânico, médico e zoólogo. Ele é muito valorizado em sua própria terra!


Do lugar aonde está localizado o jardim de Linné, se pode ter acesso a uma bonita vista para o Museu Nórdico!


Agora, perto de encerrar esse post preciso dizer que Skansen possui um zoológico aonde se pode conhecer vários animais da fauna escandinava. Há ursos, linces, renas, raposas, bisões e mais.  Devo confessar que não sou amante de zoológicos, mas em Skansen, pude perceber que os animais estão bem cuidados. 


Tenho enorme admiração pela escritora Selma Lagerlöf, primeira mulher a ganhar o prêmio Nobel de literatura em 1909, já li várias de seus livros inclusive "Nils Holgerssons Underbara resa genom Sverige" (A Maravilhosa Viagem de Nils Holgersson através da Suécia), publicado entre 1907, aonde a autora escreve, entre outras coisas sobre Skansen e apresenta sua posição quanto ao que pensa sobre o fato dos animais estarem presos...Incrível como Selma pode ser tão atual! Se ficou interessando, leia o post que escrevi sobre Selma Lagerlöf nesse blog


A área aonde estão os ursos é muito especial, creio que as crianças adoram vê-los brincando.

Quanto aos animais, destaco que estão por toda a área de Skansen, sempre se pode encontrar pássaros, patos, pavões, esquilos  e tantos outros bichos soltos por entre as árvores. Mas esses são inofencivos.


A região aonde está instalado Skansen se chama Djurgården, uma ilha que reune museus impressionantes, dentre os quais o Museu Vasa (trata do navio que afundou e foi resgatado tantos anos depois), o Museu Junibacken (para crianças e conta muito das obras de Astrid Lindgren) e muitos outros... 

Parabéns a você que conseguiu ler esse post até o fim!

Dedicado ao querido Peter Janzon que ama Skansen e me motivou também a amar esse espaço.

Fotos: Soraia Magalhães e Peter Janzon
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário