BIBLIOTECA MUNICIPAL MONTEIRO LOBATO - GUARULHOS


Contei no post anterior o encontro com a Biblioteca do Adamastor no dia 6 de outubro de 2016, decorrente de espera no aeroporto de Guarulhos e da decisão de tomar um ônibus para conhecer o funcionamento da Biblioteca Pública Municipal Monteiro Lobato.

A experiência foi interessante, como sempre são as descobertas sobre ambientes de bibliotecas, contudo infelizmente não tenho imagens da área interna dessa biblioteca, tampouco posso dizer que foi uma das melhores visitas que realizei...


Tive problemas logo na entrada, primeiramente porque como estava em viagem trazia uma mochila que era desproporcional ao tamanho do guarda-volumes. Pediram que deixasse ali, do lado de fora os meus pertences, contudo como estavam equipamentos eletrônicos, passaporte e tudo...não concordei. Só consegui adentrar quando me identifiquei como bibliotecária e exigi falar com um responsável pela biblioteca. 

Ainda no espaço da recepção conversei com outra funcionária que pediu auxílio a uma jovem bibliotecária, contudo mesmo tendo justificado o objetivo da visita e o trabalho que venho realizando com o blog Caçadores de Bibliotecas, não obtive autorização para adentrar com a mochila, nem para realizar imagens fotográficas.

Falei com uma segunda bibliotecária por telefone que se desculpou dizendo que esse procedimento só teria sido possível, via pedido prévio (principalmente por ser período eleitoral). Contestei, argumentei e não houve jeito. Fiquei muito frustrada.

Nesse post optei por não apresentar nomes, contudo não posso deixar de revelar a sensação desagradável que é ser uma usuária de biblioteca incompreendida. Creio, não temos a tradição de receber muitos turistas em nossas bibliotecas, contudo tenho visto que em outros países essa é uma prática comum e por isso profissionais que lidam com públicos diversificados parecem melhor preparados.

Também percebo com muita frequência o assombro nos olhos das pessoas quando o assunto diz respeito a criação de fotografias em bibliotecas e sei que a culpa não é efetivamente das pessoas qeu dirigem as bibliotecas e sim dos gestores e secretários de culturas das cidades que na maioria das vezes desconhecem o verdadeiro sentido da existência de uma biblioteca pública.

Está mais do que na hora de se rever essas práticas, no mundo atual imagem e publicidade estão por toda parte, contudo sites de muitas bibliotecas públicas ainda são bem tímidos. DO QUE VERDADEIRAMENTE SE ESCONDEM?   


No breve espaço de tempo em que passei na Biblioteca Municipal Monteiro Lobato pude constatar a presença de vários usuários utilizando serviços. A Biblioteca está instalada em um espaço amplo, bem iluminado. Possui aspecto lúdico e não deveria ter do que se envergonhar ou se esconder.

Haviam dez computadores para acesso a internet, apenas seis estavam em funcionamento e todos estavam ocupados. Percebi pessoas transitando pelo local, bem como muitos concentrados, lendo. Até mesmo no ambiente reservado para o público infantil, vi que havia um adulto com duas crianças.

Criada em 1939 e inaugurada em 1940, a Biblioteca Municipal Monteiro Lobato é considerada "...a matriz do Sistema Municipal de Bibliotecas Públicas, que conta com 06 Bibliotecas Ramais, um Espaço Troca Livros e 05 Bibliotecas em parcerias com outras Secretarias." (ver site da Prefeitura)


Esse é o tipo de post que não gosto de realizar, contudo creio ser necessário.  Não devemos esconder o problema para debaixo do tapete, afinal penso que bibliotecas devem ser abertas, acessíveis e dotadas de recursos humanos com autonomia para decidir o melhor para o seu usuário. Omissão e medo são elementos comuns em ambientes de bibliotecas públicas, mas não combinam com o seu desenvolvimento. 

Faltavam poucas horas para a viagem que me levaria para fora do Brasil e foi essa a experiência que vivenciei, adentrar uma biblioteca em que o NÃO foi a palavra mais dita. Fiquei triste.

Sobre a apresentação física, com imagens fotográficas, restou a opção de expor a fachada da biblioteca que apresenta graffitis com a face do escritor Monteiro Lobato, bem como na lateral, os famosos personagens do livro Sítio do Pica Pau Amarelo. 


Fotos: Soraia Magalhães
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário