POR QUE ARTHUR NETO NÃO PRIORIZOU A BIBLIOTECA MUNICIPAL DE MANAUS?


O enunciado desse post apresenta uma pergunta que espero, amanhã, muitos dos eleitores da cidade de Manaus, possam avaliar a partir de outros aspectos básicos: educação, saúde, segurança... mas também a partir do ponto de vista informacional e cultural de uma cidade: sua biblioteca pública.

E a pergunta de partida é:  Por que o atual prefeito de Manaus em quatro anos não priorizou a reforma e revitalização do prédio da Biblioteca Pública Municipal João Bosco Pantoja Evangelista? 

O objetivo dessas linhas é apenas suscitar reflexões, bem como apontar aspectos que creio, indignam a muitos que assistem o patrimônio histórico e cultural da cidade de Manaus cair em esquecimento por administrações que não demonstram interesse em instigar a população a dispor de acesso à leitura, ao conhecimento e ao livre pensar... 


Todas as imagens aqui contidas, referem-se a abril de 2016, com exceção da imagem abaixo, que data de dezembro de 2012, ano em que o espaço da biblioteca municipal já havia sido fechado, e estávamos em luta para reabertura da Biblioteca Pública Estadual, quando paramos também naquele momento para reivindicar por essa causa. A imagem apresenta um abraço simbólico ao edifício. 


Note que as condições físicas do edifício ainda apresentavam dignidade. Alguns aspectos ainda não haviam sofrido efeitos de abandono e vandalismo. Portas, vidraças e letreiros ainda estavam intactos. 


Conforme se pode observar em se tratando do aspecto físico, entre 2012 e 2016, nos quatro anos da administração de Arthur, as condições do edifício foram efetivamente comprometidas, fator que nos leva a concluir que a deterioração latente e degradante reflete o grau de desinteresse do poder público no tocante a cultura em nossa Manaus.


Na penúltima vez que visitei o espaço (abril de 2016) era noite e percebi que algumas portas haviam sido arrancadas, bem como parte dos tapumes (tenho essas fotos guardadas), o cheiro ali era horrível e claro, o lugar gerava sensação de medo. 

Voltei alguns dias depois e descobri que as portas arrancadas haviam recebido outra missão. A de tapar o espaço que havia sido aberto pelos vândalos. Alguém havia optado por transformar as antigas portas em tapumes.


Me sinto envergonhada por apresentar para os interessados por bibliotecas, um dos nossos maiores problemas da atualidade.

Estou fora de minha cidade no momento, mas me importo muito com seu destino. Em Manaus nove candidatos buscam chegar a prefeitura, dos quais o atual prefeito Arthur Neto (PSDB), que concorre a reeleição. 

Vejo sua candidatura  como um problema para os avanços da cidade, afinal nos quatro anos passados a frente da Prefeitura, não atentou para diversas necessidades, dentre as quais priorizar a reforma da Biblioteca Pública João Bosco Pantoja Evangelista.


Ainda dá tempo para ler as propostas dos candidatos, sem deixar de atentar para alguns aspectos que devem ser levados em consideração (trajetória de luta, integridade, atitudes, etc) e claro, ideias e projetos para fomentar melhorias. 

Quem eu gostaria de ver como prefeito de Manaus? José Ricardo! Em 2012, quando estávamos em luta pela reabertura da Biblioteca Pública Estadual do Amazonas, ele foi para lá engrossar o grito e nos ajudou a fazer a diferença. 


Para vereador, todo apoio a candidatura de Odenildo Sena. Ambos por suas trajetórias e propostas. 

Fotos: Soraia Magalhães
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário