BIBLIOTECA COMUNITÁRIA EJAAC: A PEQUENA NOTÁVEL


Em 2013 o Bibliotecário William Okubo ao visitar Brasília, ficou hospedado em meu apartamento, quando morei naquela cidade, enquanto trabalhava junto ao Programa de Bibliotecas Rurais Arca das Letras. Conversamos entre outras coisas sobre o Caçadores de Bibliotecas e William me fez pensar na possibilidade de uma abertura para apresentação de bibliotecas por outros parceiros. A proposta tem sido colocada em prática! O primeiro a estabelecer uma parceria foi o Moreno Barros que tem forte interesse por arquiteturas de bibliotecas; depois foi a vez da Mary Komatsu que tem apresentado uma visão das bibliotecas em espaços de arte. E agora, chegou por fim a primeira Biblioteca do querido William que nos brinda com outro viés, as bibliotecas comunitárias. De uma forma muito leve e ilustrativa, William nos convida a conhecer a Biblioteca Comunitária EJAAC (Espaço Jovem Alexandre Araújo Chaves), em São Paulo. Eu, que tenho visto tantas bibliotecas por esse mundão de meu Deus, me senti encantada pela Biblioteca EJAAC, especialmente por conta das ações que vem sendo ali realizadas!

.....

Por William Okubo

Enquanto a Soraia Magalhães e o Moreno Barros falam de suas visitas a bibliotecas e museus, muitos no exterior, vou começar minha participação por aqui explorando algumas bibliotecas comunitárias da cidade de São Paulo, lugar onde há uma grande rede de bibliotecas públicas e dentro dos Centros Educacionais Unificados (os CEUs) e serviços de extensão como os Ônibus-biblioteca e os Pontos de Leitura, tudo isso administrado pelo município, além das duas belas Bibliotecas de São Paulo e Parque Villa Lobos. 

Mas apesar disso tudo, há regiões bem carentes de leitura e informação. 

E a Biblioteca Comunitária EJAAC (Espaço Jovem Alexandre Araújo Chaves) está em um desses locais, mais especificamente o bairro do Valo Velho, na zona sul da cidade, bem próximo do município vizinho de Taboão da Serra. Ela existe desde o início dos anos 2000, mas foi reinaugurada em 2008 e é “coordenada pelo coletivo jovem de mediadores de leitura e visa oferecer à comunidade local, com especial atenção às crianças e jovens”.

A minha primeira visita ao espaço no Sábado, ocorreu em 18 de julho e logo no portão do terreno da igreja São Francisco de Assis já avistei a placa de identificação:

Placa.jpg

E ao entrar no terreno havia outra placa:

Aberta.jpg

Ótima ideia! 

Mas para coroar a comunicação visual, na porta do pequeno espaço há outra placa muito bonita:

Placa2.jpg


Como era dia da Contação de História na Biblioteca, onde a mediadora era a Ana Cláudia, conversei um pouco com o Jair, outro mediador do coletivo, até começar a atividade, que por sinal foi muito interativa….

contacao1.jpg

contacao2.jpg

Depois de encerrada a contação de história, as crianças, os mediadores e eu, continuamos nos pufes só lagarteando e lendo:

contacao4eu.jpg

contacao3-pos.jpg

Em seguida, o Jair me informou que a cada mês, um dos mediadores realiza a contação de história, e aproveitou para me mostrar os livros que ele contou no mês anterior.

livrosdojair.jpg

Pelas fotos disponibilizadas deu para ver que o estilo de contação dele é diferente, o que é muito legal, pois cada pessoa tem seu jeito de fazer as coisas não é? No final do papo prometi que vou contar história lá também….

contacao5jair.jpg

Além da contação de história, do empréstimo e mediação de leitura, a biblioteca realiza várias outras atividades, que vão de shows de rock (parceria com o coletivo Cultura Rock Festival), saraus, oficinas (como a de fotografia da foto abaixo) a rodas de leitura, além de oferecer acesso à internet, games no computador e jogos educativos para a galerinha.

RodadeLeitura.jpg

contacaoflyer.jpg

osgames.jpg

Sarau Corporalmente.jpg

oficinafoto.jpg

osjogos.jpg

acervo1.jpg

A biblioteca está em processo de informatização e utiliza o Biblivre (eles deram uma torcida de nariz quando falaram dele….) e com os recursos que recebe do Programa VAI esse ano contratou uma bibliotecária que está catalogando e indexando o acervo, que é bem variado, e tem uma coleção legal de mangás (que está inserido de forma divertida na Comunicação Visual), tanto que no dia seguinte à minha visita, dois voluntários iriam visitar à 21º Fest Comix paulistana que se realizava naquela semana para comprar mais quadrinhos.

Por fim, mais algumas fotos do coletivo e do aconchegante espaço da pequena notável:

Aequipe.jpg

espacoabertura.jpg

espaco.jpg


Mais informações: 
Horário de atendimento: segunda a sexta, das 14 às 20h, sábado, 
das 9 às 12h e das 14 às 17h
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

1 comentários:

Clique aqui para comentários
Obrigado pelo seu comentário