CASA DE LAS CONCHAS - BIBLIOTECA PÚBLICA - SALAMANCA


A Biblioteca Pública Casa de las Conchas, em Salamanca completou vinte anos de atividades em 2013 com atenção ao público local e aos turistas. Oferece diferentes materiais bibliográficos desde livros, revistas e audiovisuais, bem como uma série de serviços. Seu nome se deve a fachada que possui cerca de 300 conchas que tornam emblemática a edificação.


Apesar de ser uma Biblioteca jovem, seu edifício possui mais de 500 anos, pois começou a ser construído em 1493 tendo sido propriedade de Don Rodrigo Maldonado de Talavera, um cavaleiro da Ordem de Santiago. 
  

A Biblioteca está localizada em frente a Clerecia, nome do antigo Real Colégio do Espírito Santo, da Companhia de Jesus. Soube que os Jesuítas, pensaram em demolir a Casa das Conchas para que seu edifício pudesse ter mais visibilidade.


A Casa de las Conchas é enorme, no dia em que realizei uma das visitas, haviam estudantes adolescentes recebendo informações sobre o local, provavelmente de sua professora. 



A imagem abaixo consiste na representação da área reservada à Biblioteca, distribuída por áreas físicas e temas que podem ser encontrados em cada espaço. 


Visitei por três vezes a Biblioteca e em uma dela conversei com a funcionária Maria Jesus que me atendeu com a maior simpatia autorizando a criação das imagens aqui apresentadas. 


Poderia seguir apresentando cada sala, ou dados sobre serviços e acervo, contudo optei por deixar um bonito vídeo que favorece conhecer maiores dados sobre a Biblioteca Pública Casa de Las Conchas, bem como algumas das imagens criadas durante as visitas realizadas.













Tomei conhecimento sobre a Biblioteca Pública Casa de las Conchas em 2012 por meio de manifestações que ficaram conhecidas por Marea Amarilla realizadas em prol do fortalecimento das bibliotecas públicas na Espanha. Foi, entre outras coisas por saber dessa luta que em Manaus criamos o Movimento Abre Biblioteca com a mesma cor e ideias...


Conhecer a Casa de las Conchas era um antigo desejo, percorrer suas dependências, poder fotografá-la, sentar para ler um livro, tudo isso pude realizar. Uma experiência que me proporcionou grande prazer.

Fotos: Soraia Magalhães e Peter Janzon
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário