A INVENÇÃO DE HUGO CABRET - LIVRARIA E BIBLIOTECA


Esta postagem trata de um dos filmes mais bonitos de 2012, A Invenção de Hugo Cabret, que trás fotografia deslumbrante, mensagem carregada de pureza, elementos históricos e um ingrediente adorável: o destaque em várias passagens para a importância do livro, da leitura e das descobertas.  

O filme conta a história de Hugo Cabret, um menino que vive clandestinamente numa estação de trem em Paris, nos anos de 1930. Seu pai, um relojoeiro que trabalhava em um museu, lhe deixa um autômato (especie de robô) que precisa ser consertado. A trama envolve entre outros, o dono de uma loja de brinquedos e sua sobrinha, uma menina ávida por viver grandes aventuras.

É um filme em 3D e presta homenagem à origem do cinema, trazendo reflexões sobre a construção de um tempo... tempo de máquinas, homens e seus avanços. Numa das cenas, Hugo reflete algo mais ou menos assim "...o mundo é uma grande máquina e nenhuma máquina vem com peças a mais. Todos temos uma função essencial para o mundo".


O principal objetivo dessa postagem é destacar duas cenas marcantes. As cenas da livraria e da biblioteca. A primeira, a livraria, tem um aspecto lindo e ao mesmo tempo desordenado. Está abarrotada de livros e o livreiro, apesar do esteriótipo austero, deixa boa impressão sobre serviço de referência e estímulo a leitura. Era lá, que mesmo sendo uma livraria, a menina emprestava livros.


A segunda, é na verdade a Biblioteca Nacional da França (Bibliothèque Nationale de France). Belíssima! É nesse ambiente organizado que os protagonistas encontram pistas para alguns dos principais mistérios da trama. Ah!!...a Biblioteca vista como lugar de incríveis descobertas. Ao longo da história é possível perceber várias cenas que fazem alusão a literatura, aos livros, à leitura.


Li "A invenção de Hugo Cabret", de Brian Selznick em 2008 quando era ainda bibliotecária do Colégio Imaculada (CIC-BH), um livro completamente cheio de imagens que nos envolve do começo ao fim, assim como o cinema costuma fazer.

Lembro que naquele período indiquei ao Gabriel Lara e sua irmã Isadora Lara. Eles eram alguns dos mais frequentes usuários da biblioteca. Tenho certeza que continuam bons leitores..tomara que tenham visto o filme e que se lembrem desse tempo...


Quando soube que "A invenção de Hugo Cabret" havia se transformado em filme aguardei com ansiedade. Ontem assistir com meu filho Phellipe e sua namorada Jhennifer. Foi meu primeiro filme em 3D e fiquei encantada!

Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

3 comentários

Clique aqui para comentários
Obrigado pelo seu comentário