MUSEU DO PORTO DE MANAUS: DESCASO E SILÊNCIO


Estou distante da minha terra e a saudade começa a se manifestar. Pensando em Manaus e no descaso que a tantos anos toma conta da minha querida cidade, opto hoje por referendar um espaço museológico relegado ao abandono: o Museu do Porto.


Algumas das imagens desse post foram produzidas entre os anos de 2012 e 2014. Tenho outras de momentos mais antigos pois sempre que estou em Manaus visito o espaço, especialmente por que em 2009 foram iniciadas obras bem perto dali, de uma biblioteca temática que deveria se chamar Casa de Leitura Thiago de Mello, na área portuária de Manaus. Não estou certa de que tenham havido avanços nesse sentido mesmo com o orçamento gasto de mais de R$ 12 milhões oriundos do Programa Mais Cultura, do Governo Federal, ok, mas isso é outro problema.


Neste momento me atenho ao Museu do Porto pois este fechou a muitos anos, particularmente nem sei dizer quanto. O bonito edifício, com suas paredes em tijolos avermelhados funcionou em seus primórdios como casa de máquinas, no auge do período da economia gumífera no Amazonas. Nos dias atuais chama atenção pelos letreiros que anunciam que ali é um museu, contudo fechado e sem nenhuma previsão de abertura (fato muito comum nas obras públicas de Manaus).


Buscando algumas manifestações atualizadas sobre o problema, encontrei a matéria Privatização do Porto ameaça parte do patrimônio histórico, de Isabelle Valois publicada no jornal A crítica, em 06 de Maio de 2015, no qual a jornalista esclarece elementos que tocam sobre as propostas de revitalização do porto e as lutas em torno de direitos e privatização. Sobre o espaço, Isabelle descreve que:
Construído no início do século 20 pelos ingleses, o prédio possui características medievais, com paredes de tijolos revestidos por alvenaria e 742 metros de área construída. Foi a primeira construção do conjunto arquitetônico do Porto de Manaus concluída, em 1903, para servir de Casa de Máquinas. Em 1981 foi transformado no Museu do Porto.
Eu mesma usei o espaço para pesquisas quando dei início aos estudos sobre a memória do transporte coletivo de Manaus. O Museu possuía acervo bibliográfico e dispunha de peças sobre a historia da navegação no Amazonas e antigas máquinas, algumas das quais permanecem expostas na área externa relegadas a sol e chuva. 





Tenho apresentado belos museus neste blog, bem como exposições apreciadas em diversas cidades do Brasil e outros países e por isso, agora que a saudade aperta percebo que nem mesmo sei quantos museus efetivamente existem em minha cidade. Quais serão as exposições culturais que estão sendo realizadas ou o que tem feito a Secretaria de Cultura do Estado?


Há uma placa encravada na área externo da parede do Museu do Porto que aponta que o espaço foi idealizado pelo eterno secretário de Cultura do Estado, Robério Braga em 1998...Eu acredito que o espaço já existia antes dessa data!

De qualquer forma aproveito para registrar minha indignação pela incapacidade dos representantes do poder em meu estado que não possuem sensibilidade e respeito pela memória de nossa cidade. O que podemos fazer neste caso? Pelo ao menos lembrá-los de suas obrigações, sempre!

Fotos: Soraia Magalhães e Sebastião Alves
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

2 comentários

Clique aqui para comentários
Obrigado pelo seu comentário