MUSEU DO SAMBA CARIOCA - CENTRO DE REFERÊNCIA DO SAMBA CARIOCA


Desde 2013 o Rio de Janeiro conta com um espaço museológico que reúne a história do samba carioca. Com acervo composto por fotografias, instrumentos musicais, figurinos, fantasias, maquetes, estandartes, painéis e outros, o lugar se destaca por apontar peculiaridades do Rio de Janeiro vistas por meio de sua música e personalidades marcantes. 


Funciona no mesmo prédio do Centro Cultural Cartola, organização sem fins lucrativos que reúne intelectuais, artistas, produtores culturais e formadores de opinião que lutam em prol da proteção das tradições e da memória das manifestações culturais do samba.


Nas salas que tratam da história do samba e carnaval carioca há fantasias originais, numa delas é possível perceber o quanto mudou no figurino das passistas. A calcinha era um pouco maior que as dos dias atuais...


Também o figurino das baianas mudou bastante. Em exposição é possível ver um modelo clássico e outro mais adaptado as temáticas modernas.


Há muitos painéis contando a história do samba, mas é preciso tempo para ler cada momento em destaque. Com a visita guiada a compreensão dessa linha do tempo se torna mais facilitada.


Registrei o painel que mostra dados sobre a Mangueira, a Escola de minha predileção. Parte do mote da exposição remontam a obra de Angenor de Oliveira, o Cartola, figura querida e respeita por sua contribuição para a música popular brasileira. O Museu por conseguinte, presta grande homenagem a Dona Zica sua companheira de vida e de luta.



A história da trajetória de Cartola pode ser conhecida pelos painéis com dados de sua infância, juventude e fase adulta. Ha também a exposição de sua última fantasia usada na Mangueira...


Destacam-se no Museu, fotografias de peso, muitas das quais já conhecidas pelos apaixonados da música brasileira como as que reproduzo abaixo que trazem Billy Blanco, Odete Lara, Dorival Caymmi, Zé Keti, Tom Jobim e Cartola...Ou a bela imagem de Nara Leão que faz jus ao nome ligado a trajetória do samba carioca. 



Enquanto lia sobre Cartola, indaguei sobre sua relação de amor com Dona Zica. O jovem guia que apresentava as informações me disse que eu poderia tirar minhas próprias conclusões no andar de cima...que esperasse...


O andar superior conta muito sobre Dona Zica, com dados de sua vida antes e com Cartola. Para os românticos, um painel com a letra da música "Nos dois" reflete o sentimento que Dona Zica despertou no artista. A letra diz: 

Está chegando o momento
De irmos pro altar
Nós dois
Mas antes da cerimônia
Devemos pensar em depois
Terminam nossas aventuras
Chega de tanta procura
Nenhum de nós deve ter
Mais alguma ilusão
Devemos trocar idéias
E mudarmos de idéias
Nós dois
E se assim procedermos
Seremos felizes depois
Nada mais nos interessa
Sejamos indiferentes
Só nós dois, apenas dois,
Eternamente


"Nos dois" é uma letra linda e apaixonada, contudo "As rosas não falam" que é uma das mais conhecida...é a que mais gosto. É a música que me remete a infância e a relação musical com meu pai Magalhães da Guitarra...para ele eu dedico esse post.


Quem passa pela rua Visconde de Niterói, na Mangueira percebe ao longe a bela estátua de Cartola e seu violão...Um convite para entrar e conferir o espaço que abriga o Museu do Samba Carioca e o Centro de Referência de Documentação e Pesquisa do Samba Carioca. O lugar por sinal possui biblioteca...


Nessa breve passagem pelo Rio de Janeiro (a trabalho) deu para sentir a efervescência do carnaval e conhecer o Museu do Samba Carioca junto com a amiga Maria Dione Ferreira. É que o espaço dispõe de uma biblioteca do Programa Arca das Letras...mas isso é outra história.


O Museu do Samba Carioca está aberto para visitação diariamente de 9 às 17 horas no endereço: Rua Visconde de Niterói 1296 - Mangueira - Tel:(21)32345777.

Fotos: Soraia Magalhães
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário