A CONTADORA DE FILMES - LIVRO


Conclui há alguns dias a leitura do livro A contadora de filmes do escritor chileno Hernán Rivera Letelier e a sensação foi, além de satisfação, o desejo de compartilhar a excelente história. 

Não querendo me alongar aponto a sinopse da obra extraída do site da Cosac Naify:
No final dos anos 50, Maria Margarita é a filha menor de uma família de mineiros para quem a sessão de cinema aos domingos – única diversão do povoado – é ocasião para descobrir a última obra-prima de Chaplin, os melodramas mexicanos, a saia esvoaçante de Marilyn Monroe ou as novas aventuras de John Wayne. Porém um acidente de trabalho sofrido pelo pai corta a renda familiar pela metade, e só um dos filhos poderá assistir aos filmes. Numa espécie de concurso para a escolha do sortudo, Maria Margarita é quem se sai melhor e então terá a missão de contar a história do filme para o resto da família. Os acontecimentos atravessam os anos 70, quando a televisão chega ao povoado e muda a relação das pessoas com o cinema.
Poucas vezes apresentei livros neste blog, mas esse, além de favorecer o prazer da boa leitura me trouxe a ideia para criar a seção Bibliotecas nos livros. É que identifiquei um momento da narrativa envolvendo leitura e biblioteca na trama - Sim, a protagonista frequenta a biblioteca de seu povoado e por isso reproduzo o parágrafo em que descreve sua relação com o local:
Animada por causa da minha popularidade, descuidando até mesmo das tarefas escolares, parei de ler as histórias em quadrinhos e me concentrei apenas na revista Écran (aprendi que Écran era a tela do cinema). Além de devorar todos os novos exemplares que chegavam na biblioteca, li uma cordilheira de números velhos que a bibliotecária me trouxe do depósito. Duas seções me interessavam especialmente: "Últimas estreias" e "Fofocagens hollywoodianas". Queria saber absolutamente tudo sobre os filmes e as atrizes que geralmente enfeitavam a capa da revista. É assim que me sentia como uma delas. 
O livro é um presente para os apaixonados por cinema, também por quem se interessa pela arte de contar histórias e em muitos sentidos destaca a importância da leitura. A sinopse acima já diz muito e não creio que se deva contar mais que isso. Mas aproveito para acrescentar que vale a pena sorver cada página que, esteticamente se parece com uma graciosa película. 



Agradeço a amiga Evany Nascimento por ter me "contado" a obra tempos atrás. Na imagem acima, momento de confraternização com amigos em sua casa e marco do momento em que peguei seu livro emprestado. Evany sabe que devolverei. Vou comprar um para mim. Esse é desses livros que se deve ler e ter.


* Hoje é o Dia do Contador de História, parabéns a todos!

Fotos: Soraia Magalhães
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário