BEM DE COPACABANA - BIBLIOTECA - RIO DE JANEIRO


Em abril de 2014 visitei uma interessante Biblioteca localizada em Copacabana, no Rio de Janeiro. Chamada oficialmente Biblioteca Escolar Municipal de Copacabana – Carlos Drummond de Andrade, o espaço possui energia muito positiva. 


Criada em 1954, a Biblioteca completou em 2014 sessenta anos de atuação e conforme alertava o cartaz colocado na grade do portão de entrada, atende pelo carinhoso apelido BEM de Copacabana. 


Instalada na residência conhecida como Casa Villiot, do ponto de vista exterior se apresenta como um casarão excêntrico e até mesmo austero, mas é na sua área interna que o ambiente se enche de cor e formas.




A casa foi planejada na década de 20 pelo arquiteto italiano Antônio Virzi, que deixou outras obras interessantes na cidade do Rio de Janeiro. Foi edificada para ser a residência de Victor Villiot Martins e de acordo com informações apontadas no Blog do Dimitri a casa:

Foi apelidada na época de “casa sem janelas”, tendo sido considerada uma das mais avançadas propostas arquitetônicas no Brasil. Com 306 m² e dois pavimentos a construção foi protegida pela legislação municipal de tombamento em 1995, declarada de utilidade pública em 1996 sendo destinado à Secretaria Municipal da Cultura para ser transformado em equipamento de uso cultural, e desapropriada pela Prefeitura do Rio de Janeiro no ano 2000. 


Outra informação encontrada sobre a casa foi publicada por Daniela do Grupo Tudo de bom Fabci noturno (do Yahoo) apontando que em 2006 o espaço ia ser aberto a população. Suas considerações sobre o ambiente são bem interessantes:

Depois de quase 80 anos, a Casa Villiot, mais conhecida como a casa sem janelas, abrirá as portas ao público pela primeira vez este mês. A construção de pedras no número 80 da Rua Sá Ferreira foi escolhida pela Secretaria Municipal das Culturas para abrigar a Biblioteca Popular de Copacabana. Os visitantes poderão ter, à primeira vista, dificuldade para descobrir a entrada, já que porta e janelas ficam voltadas para os fundos. Mas, superado o desafio inicial, uma grata surpresa: além de livros, quem for à biblioteca vai encontrar uma pérola do estilo art déco de um dos arquitetos mais inventivos de sua época, o italiano Antonio Virzi (1882-1954). Não por acaso, um mestre da arquitetura brasileira, Lúcio Costa, comparou a obra de Virzi a fogos de artifício à luz do dia, pois é difícil passar indiferente em frente a um de seus projetos.

O lugar, já abrigou o Centro de Referência da Música Carioca. Quanto à Biblioteca, com seus sessenta anos de trajetória atende hoje pelo nome Biblioteca Escolar Municipal de Copacabana - Carlos Drummond de Andrade/Max Feffer.


O espaço reservado ao público infantil presta homenagem a Max Feffer, empresário brasileiro (já falecido), que foi um dos fundadores do Grupo Suzano e do Instituto Ecofuturo.


Durante a visita realizada em abril de 2014, fui muito bem recebida pelas colegas bibliotecárias Ângela Cristina Duarte Souza e Helena Cristina Duarte Cordeiro que me apresentaram os espaços, contaram sobre os serviços e também sobre os desafios para motivar à leitura no ambiente da Biblioteca.


Um dos projetos colocados em execução e que achei muito bacana se chama Lendo com meu filho. Consiste na disponibilização de caixas contendo livros pré-selecionados com temas envolvendo contos de fadas, livros-brinquedos, folclore e outros. A proposta tende a aproximar as famílias do ambiente da Biblioteca.



A área reservada às crianças está localizada no térreo. Estantes e livros com capas coloridas, bichos de pelúcia, pequenas mesas e cadeiras tornam o recanto, atraente e acolhedor. 


Na parte superior do edifício estão reunidas obras de literatura geral e há um cantinho especial que destaca as obras do poeta Carlos Drummond de Andrade, que dá nome a Biblioteca.


Há estreitos corredores na área superior onde várias estantes foram acomodadas, fator que faz com que se veja que há livros por todos os lados. O acervo de literatura é amplo e com bons títulos, incluindo muitos Best Sellers.


A casa onde está instalada à Biblioteca possui espaços surpreendentes e um deles chama a atenção pela exposição "Arte na Banheira", com a utilização desse elemento para gerar atração pelos livros de arte. Ideia bacana para aproveitar muito bem os cantinhos. 


A visita à Biblioteca foi muito proveitosa, durante a estada que durou aproximadamente uma hora, percebi que haviam usuários em todos os setores, fator hoje absolutamente relevante. 


A Bem de Copacabana abre periodicamente suas portas para diversos eventos. Ela é uma pequena Biblioteca de bairro, porém vibrante. É uma Biblioteca que possui um apelido carinhoso e está instalada em um edifício com ingredientes artísticos, por esses e outros motivos vale a pena conferir. 

Agradeço de coração às colegas bibliotecárias a atenção dispesada a mim e meu companheiro Peter Janzon. 

Nesta passagem pelo Rio de Janeiro visitei também:

BIBLIOTECA PARQUE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Fotos: Peter Janzon

Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário