PALÁCIO DA LIBERDADE - BELO HORIZONTE - MG


Em março de 2011 visitei o Palácio da Liberdade com minha filha Camila Magalhães, na época ficamos tão impressionadas e contentes por adentrar esse espaço que eu, em particular, cheguei a afirmar que esta era uma das mais bonitas edificações (neste modelo) que eu já tinha visto.  

Estando em Belo Horizonte optei por escrever sobre este espaço, com o objetivo de marcar a comemoração do Dia Internacional dos Museus que é celebrado todos os anos, desde 18 de Maio de 1977, pelo Conselho Internacional de Museus - ICOM (organismo da UNESCO).


O Palácio da Liberdade é um luxo só...por fora é bonito, mas é por dentro que surpreende por ser tão bem decorado aos moldes dos palácios de contos de fadas, com suas escadarias, móveis, pisos e jardins construído em um dos lugares mais nobres de Belo Horizonte.

O Palácio também tem casos curiosos e que fortalecem as lendas urbanas. Uma delas, refere-se ao fato de ter servido de moradia para vários governadores, contudo começou a circular uma história de que uma mulher, ao saber que seu casebre (local onde foi construído o Palácio) ia ser demolido, ficou tão revoltada que jogou uma praga dizendo que quando morresse, assombraria o lugar e que quem a visse também morreria. Como alguns governadores morreram, Raul Soares foi um caso, a lenda ganhou vigor.


As visitas ao local são guiadas e acontecem aos domingos, com agendamento. Soube que no último domingo de cada mês acontece a troca de guarda, mas infelizmente não pudemos assistir por que quando visitamos, não era final do mês. 


As fotos aqui contidas compõe bem mais registros do lado de fora do Palácio com sua forte integração com a Praça da Liberdade. Juntos formam um conjunto arquitetônico muito harmonioso.


Da visita, recordo e sempre vou recordar da belíssima escadaria originária da Bélgica, também do Salão Nobre, ricamente decorado e do Salão do Banquete, com sua mesa com 36 lugares e um magnífico lustre de cristal. Ahhh, lembro também das pinturas do teto desse salão que difere dos demais por representar os prazeres. 


Da experiência, o único inconveniente foi não poder fotografar as dependências internas do Palácio, uma grande bobagem já que todo turista adora fazer isso. Mesmo assim, com essas poucos fotos guardamos lembranças desse momento especial que vivemos juntas, minha Camila e eu.

Já faz tempo que planejo escrever sobre lugares que visitei em Belo Horizonte, pena que o tempo seja curto. O certo e que tenho visitado muitos e espero um dia possa dispor de mais tempo para contar... 

Fotos: Camila Magalhães
Elpidio Justino (foto da fachada) no Panoramio
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário