BIBLIOTECA DE BIRMINGHAM - INGLATERRA


Sempre que me perguntam qual foi a biblioteca mais incrível que conheci desde que comecei o Caçadores de Bibliotecas, a resposta geralmente não está pronta, tendo em vista diferentes tipologias, contudo uma das mais fantásticas foi a de Birmingham, na Inglaterra, essa sim, me deixou quase sem fôlego!



Visitei Birmingham em junho de 2014 e a mídia na Europa naquele tempo, oferecia uma série de informações sobre as maravilhas do empreendimento. Era a primeira vez que viajava sozinha e estando em Londres, não poderia perder a oportunidade de conhecer o espaço. A experiência foi marcante pois mesmo sem dominar a língua inglesa fui muito bem recebida e até consegui fazer a carteirinha de usuária! 


A nova Biblioteca de Birmingham, foi inaugurada em abril de 2013 e desde então, ocupa a posição de maior biblioteca pública da Europa. O espaço arquitetônico impressiona desde a fachada aos demais ambientes distribuídos por dez andares, todos muito bem equipados oferecendo acervos e serviços.


Do ponto de vista arquitetônico, a Biblioteca oferece ambientação futurística, seja por fora ou por dentro dos 31 mil m2 de área construída. Tudo por ali tem uma função bem pensada e por isso, creio ninguém deixa esse lugar indiferente ao que pode observar e/ou usufruir. 


Na área interna, tanto os elevadores quanto as escadas rolantes podem gerar uma experiência de viagem no tempo. As luzes neon enebriam de cor as subidas e descidas, criando uma oportunidade de percepção lúdica dos espaços. 


Para avançar sobre a descrição dessa Biblioteca, opto por contar como foi a primeira vez que entrei em uma biblioteca pública. Estava com 13 anos e havia começado a estudar em uma escola no centro da cidade de Manaus. Um dia, duas colegas me chamaram para visitar a Biblioteca (mas era preciso gazetear aula), foi a primeira vez que fiz isso. Chegando em frente ao edifício palaciano, ao ver a grande porta,  não acreditei ser possível adentrar. Não tinha noção do caráter público e achei que poderíamos ser mandadas embora..mas entrei...e por muitos anos fui uma grande frequentadora do espaço...

Contei isso somente para dizer que ao chegar em frente a Biblioteca de Birmingham senti a mesma sensação. Ainda enfrento medos, contudo hoje bem mais ciente dos meus direitos e do que uma boa biblioteca pública deve oferecer.


Quando visitei a Biblioteca, sabia que poderia ter dificuldades de comunicação, contudo ao buscar ajuda dos bibliotecários de referência, percebi que foram absolutamente corteses ao gerar conversação por meio do tradutor do Google. Foi dessa forma que ofereceram informações e acesso de senha de Wifi. Pude contar sobre o trabalho com o Caçadores de Bibliotecas ao qual eles admiraram com simpatia e me deixaram muito a vontade para percorrer e fotografar todos os espaços.


Passei dois dias em Birmingham e neste tempo, pude percorrer por muitas horas as diversas áreas da Biblioteca. Nesse sentido, pude observar bastante e perceber que com certeza a Biblioteca gera admiração em qualquer usuário, ou mesmo um turista animado por conhecer um ambiente cultural confortável e de acesso gratuito...


Pelas imagens é possível que se pense que não haviam muitas pessoas utilizando a Biblioteca. Mas a verdade é que os espaços são enormes e criam essa falsa impressão, porém em todos os andares era possível encontrar usuários  estudando, lendo, passeando, usando computadores...


Os acervos bibliográficos também são impressionantes. Não disponho dos números, contudo são formados por materiais que vão além de livros impressos e digitais, acervos fotográficos e um dos orgulhos são as coleção de obras de William Shakespeare.


A Biblioteca possui um auditório (esse eu não fotografei) com 300 assentos!  Além disso, possui muito espaço para usos, desde ambientes para estudos em grupo e individual, bem como como musicoteca, um café, áreas para exposições...

 
Lembro que o colega Moreno Barros, em um post apresentado aqui no Caçadores de Bibliotecas sobre a Library at The Dock, em Melbourne, na Austrália, comentou que se tivesse que nomear uma biblioteca "estado da arte", seria aquela. Eu, contudo se tivesse que fazer o mesmo, nomearia a Biblioteca de Birmingham que atende (como a Library at The Dock) todos os preceitos de excelência do que uma biblioteca pública deve ser e oferecer.

Tudo por que a Biblioteca é considerada um centro de aprendizagem, um espaço de cultura e de acesso a informação para o povo. Há programação frequente acontecendo envolvendo ações como oficinas, palestras, peças de teatro e atividades culturais diversas.  Além do diálogo contínuo com a comunidade.


Moreno, em sua descrição da Library at The Dock, comentou sobre apropriação do espaço físico pelos cidadãos e utilizou o exemplo de uso de mesas de ping pong...vale a pena ler sua reflexão. Na Biblioteca de Birmingham também havia uma mesa de ping pong...


Uma das salas mais interessantes da Biblioteca de Birmingham está localizada no topo do edifício. Em estilo vitoriano, mas parecendo uma sala de museu se pode ter acesso ao Shakespeare Memorial aonde estão reunidas coleções de William Shakespeare. Os móveis e objetos são originais de uma biblioteca de 1882 que foi translada para o ambiente.


Outra área fantástica, também no topo do edifício consiste em um amplo terraço, com jardins que oferecem a oportunidade de sair do ambiente fechado, respirar do lado de fora e deslumbrar a vista da cidade. Vale destacar que o edifício da Biblioteca de Birmingham é ganhador de vários prêmios e seus idealizadores deram atenção especial as questões envolvendo sustentabilidade.


Tenho especial atenção pelos espaços infantis no interior das bibliotecas públicas, confesso porém que de tudo foi a parte que menos me chamou a atenção, apesar de ser colorida, ampla e repleta de livros, faltava alguma coisa...


A Biblioteca custou valores astronômicos para os cofres públicos (£ 188,8 milhões) e por isso quando inaugurada gerou uma série de críticas. Nos dias atuais, o espaço recebe um contingente significativo de visitantes, cerca de 2,414,860 milhões em 2014 (ano em que visitei!) Atualmente é considerada a 10ª atração (por número de visitantes) mais popular no Reino Unido. *


Próximo ao balção de referência há uma lojinha aonde se pode comprar desde um pequeno souvenir (eu comprei um busto de Shakespeare), cartões postais e vários tipos de presentes. A Biblioteca também faz dinheiro! 

O horário de funcionamento da Biblioteca varia de forma a atender a comunidade e não as necessidades dos funcionários. No Brasil, as bibliotecas públicas (em grande maioria) se adequam aos horários dos servidores públicos gerando com isso inadequação de uso, afinal funcionam quando as pessoas no geral estão trabalhando ou nas escolas...



Birmingham é uma cidade muito bonita! É considerada a segunda maior da Inglaterra e está localizada cerca de 165 km de Londres. Possui bonitos canais e edifícios históricos relevantes, contudo, os ingleses já afirma que sua ultra moderna Biblioteca se constituiu também como uma atração turística. 

Bibliotecas públicas como atração turística, por que não? 
Eu mesma, saí de Londres em busca de conhecê-la e recomendo!!!

* Fonte: Wikipedia

Fotos: Soraia Magalhães
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

1 comentários:

Clique aqui para comentários
Obrigado pelo seu comentário