BIBLIOTECÁRIOS CONTRA O GOLPE


Este post objetiva auxiliar na divulgação do vídeo Bibliotecários contra o golpe, criado por um grupo de profissionais que decidiram se posicionar sobre os acontecimentos que vêm ocorrendo na vida política do Brasil, aonde temos assistido à manipulação da mídia e à seletividade da informação em prol de interesses conservadores e antidemocráticos. 


Tenho orgulho de me posicionar e aproveito para deixar claro que o que buscamos é a defesa do Estado Democrático de Direito! Conheça o teor do texto reproduzido no vídeo (ler abaixo) e entenda por que dizemos não ao golpe! 

.....

Nos últimos meses, assistimos a uma avalanche de denúncias de corrupção envolvendo diversas autoridades públicas e partidos políticos. 
Muitos brasileiros foram às ruas clamando por mudanças. 
As pautas são diversas: 
Alguns querem o impeachment ou a renúncia da Dilma Rousseff; 
Outros, o combate à corrupção em toda a sociedade; 
Alguns pedem novas eleições presidenciais; 
E até tem gente que propõe a intervenção militar como remédio. 
Nós, bibliotecários, também somos contra a corrupção, mas não acreditamos na lógica do vale-tudo! 
Defendemos a Democracia acima de tudo! 
Apoiamos as investigações da lava jato sem seletividade e partidarismos. 
Respeitamos as instituições constituídas, mas defendemos o respeito absoluto à Constituição Federal. 
Inclusive o direito de defesa dos investigados. 
Rechaçamos a manipulação da mídia em desfavor de um governo democraticamente eleito. 
Queremos mudanças, sim! 
Que a renda seja melhor distribuída. 
Que as mulheres alcancem o mesmo patamar de dignidade dos homens. 
Que a comunidade LGBT seja plenamente respeitada em suas diferenças.
Que os negros deixem de ser dizimados. 
Que as terras indígenas sejam tuteladas. 
Que a população menos favorecida tenha acesso à cultura e à livre informação. 
Que em todas as nossas cidades e escolas existam bibliotecas! 
E bibliotecas com bibliotecários! 
Propomos uma reaproximação do governo federal com os movimentos sociais. 
Isso exigirá, sem dúvida, uma reforma política séria. 
Que garanta uma representatividade efetiva do povo. 
Nós, bibliotecários, defendemos um país democrático e com mais bibliotecas. 
Não ao golpe!


Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário