MUSEU DO SEXO HILDA FURACÃO - BELO HORIZONTE


Em junho de 2016, Belo Horizonte ganhou o Museu do Sexo Hilda Furacão, proposta que visa entre outras coisas atuar na promoção e conscientização do tema. Uma interessante definição sobre a proposta destaca que: 
O Museu do Sexo Hilda Furacão é um ponto de convergência e difusão de ações em torno da sexualidade. Museu vivo, museu de percurso: Museuzona. Hilda furacão é matrona da viagem pelo do centro das Minas, onde está amalgamada a Guaicurus, maior complexo de prostituição do Brasil.
Entre outras coisas a ideia inicial, até por que ainda não há um espaço museológico fixo, é que a exposição percorra lugares representativos da cidade, como por exemplo o Centro de Referência da Moda (vai até 21 de agosto de 2016), na rua da Bahia, aonde prestigiei a exposição e realizei essas imagens.  


Por meio da mostra inaugural chamada GOZEMOS, os visitantes podem observar imagens, pinturas, objetos e outros elementos ligados às práticas sexuais ainda tão cercadas de mitos e tabus.


O desejo dos organizadores é que o Museu do Sexo Hilda Furacão ganhe endereço fixo, de preferência  na Guaicurus, uma das ruas do centro histórico de Belo Horizonte que concentra muito da boemia e das atividades do trabalho de prostituição da capital mineira. 


Enquanto o espaço fixo ainda não existe, as ações podem ser conferidas em oito locais, desde hotéis, restaurantes ou centros de cultura. A proposta é ampla e visa instigar debates e ações interativas no ambiente da cidade com o foco sobre o tema. 



Para os conservadores, fica aqui a informação de que o Centro de Referência da Moda, apresenta um cartaz que salienta que a Mostra é imprópria para menores de 18 anos.

Particularmente gostei muito da ideia e fiquei imaginando uma ação cultural da mesma proporção na rua Itamaracá, em minha Manaus, ambiente que viveu e ainda vive da boemia e das atividades de prostituição vistas de forma tão marginalizadas e por conseguinte, tão esquecidas pelo poder público.

* Hilda Furacão, mineira que entre os anos 1950 e 1960 se tornou uma das mais famosas prostitutas de Belo Horizonte. Sua história foi contata em livro e minissérie.

Fotos: Soraia Magalhães
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário