AS VOZES DAS CRIANÇAS À SOMBRA DA PALMEIRA DE URUCURI - 5 MESES DEPOIS...



Com o objetivo de descansar nos dias que se seguiram ao carnaval, após o desfile na Escola Reino Unido, bem como realizar pesquisa sobre os equipamentos culturais do Amazonas, visitei no dia 11 de fevereiro de 2013, o município de Urucurituba e tendo ficado por lá até o dia 17, tive bastante tempo para conhecer várias nuances da cidade.


O município possui uma biblioteca pública contudo sobre as condições de funcionamento farei um post a parte. Nesse momento destaco uma ação que me surpreendeu bastante, não apenas por que a ideia é linda e louvável, mas pelo abandono em que a encontrei.



Consiste no projeto "As vozes das crianças à sombra da palmeira de Urucuri", idealizado pela mestranda em Educação e Ensino de Ciência da Amazônia da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), professora Silvia Lima.


Soube que em comemoração ao Dia da Árvore, no dia 21 de setembro de 2012, cerca de 200 estudantes da rede pública da Escola Estadual Professor Armando Kettle plantaram numa das principais avenidas da cidade, 100 mudas da palmeira Urucuri (Atallea phalerata), que correspondem a planta que tem relação com o nome da cidade.


De acordo com informação extraída da Wikipédia "Urucurituba é vocábulo indígena que significa palmeiral, "lugar onde há muitas palmeiras". Do tupi urucuri: um das muitas variedades de palmeiras do Brasil; e tyba: grande quantidade, abundância."

As plantinhas receberam identificação por meio de uma placa com o nome da criança que a plantou. Um dos objetivos era fazer com que as crianças despertassem o interesse para o aprendizado das ciências por meio da preservação do meio ambiente e também ao plantar a palmeira Urucuri, resgatar a história da espécie que deu origem ao nome da cidade.




A mobilização recebeu o apoio da primeira-dama do Estado, Nejmi Aziz, bem como da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Amazonas - Fapeam, da Universidade Estadual do Amazonas e da Prefeitura de Urucurituba.

Se escrevo e posto essas imagens e esse pequeno texto é por acreditar que esse trabalho tem um valor enorme e quem sabe pode ser expandido para outros municípios visando auxiliar ações de conscientização ambiental. Mas é preciso um trabalho de acompanhamento sério que envolva além da escola, país, crianças e toda a comunidade.

Infelizmente a realidade atual é triste. Muitas das mudas, plantadas em apenas cinco meses, já foram perdidas. Há lixo, placas quebradas e plantas arrancadas em vários trechos da avenida. Uma lástima.




Seria ideal que cada criança passasse todos os dias para cuidar da sua plantinha. Que fossem orientadas a  crescer com elas...isso seria um belíssimo exercício de cidadania e conscientização da preservação da natureza...

Que exemplo daria a Escola Estadual Professor Armando Kettle se conseguisse mobilizar esse feito!

Fotos: Peter Janzon
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

2 comentários

Clique aqui para comentários
Obrigado pelo seu comentário