BIBLIOTECA PÚBLICA DO AMAZONAS ABERTA (MAS PARA "INGLÊS" VER)

A repercussão nas redes sociais do artigo Sabor de sonho realizado, publicado no dia 21 de fevereiro na Revista Biblioo gerou manifestações e felicitações de amigos e colegas bibliotecários de Manaus e outras cidades e a todos agradeço de coração. Contudo, apesar de estarmos felizes por termos agora, nossa Biblioteca Pública Estadual aberta, temos que estar atentos e não deixar de observar que essa Biblioteca deverá ser reavivada e se tornar atuante na promoção da cultura. Para reacender a chama, decidi postar um valioso comentário de um cidadão que foi conferir a situação da Biblioteca em termos de serviços, acervo e acessibilidade aos suportes informacionais. Postado na seção de comentários do Caçadores de Bibliotecas, no dia 7 de fevereiro por Thiago Bezerra (a que peço autorização para reproduzir), o texto faz colocações muito pertinentes sobre inadequações observadas...confira abaixo! Aos poucos farei comentários em postagens a parte sobre a situação...




BIBLIOTECA PÚBLICA DO AMAZONAS ABERTA (MAS PARA "INGLÊS" VER)


Por Thiago Bezerra

Amigos, hoje fui visitar a magnífica biblioteca pública que foi reinaugurada recentemente e gostaria de compartilhar minhas primeiras impressões. A abertura da biblioteca se deu de uma forma tímida, acanhada e quase clandestina, sem nenhuma faixa inaugural ou cerimônia pomposa, como é de praxe já que a obra demorou tantos anos para ser concluída e dada a sua importância cultural para o estado, o que me pareceu no mínimo suspeito. Pois bem, após minha visita foi fácil perceber porque o governador e o secretário de cultura não mostraram seus sorrisos na dita inauguração.

As obras de reforma da biblioteca deram resultados inegáveis, está tudo muito bonito, arejado, climatizado, com computadores novos e acesso à internet, poltronas e mesas de estudo. O cadastro para acesso aos livros e para empréstimo das obras é simples e rápido, além disso, a boa receptividade dos funcionários ficou evidente.

No entanto a biblioteca sofre de alguns erros críticos:

1º - Apesar dos funcionários terem sido solícitos e educados, eles não tiveram um bom treinamento para trabalhar na biblioteca, isso ficou muito claro no setor dos periódicos, onde os visitantes e o próprio funcionário manuseavam os documentos antigos sem uso de luvas ou máscaras, o que é extremamente prejudicial não apenas para os documentos, mas também para a saúde das pessoas que ali estavam, seja pela presença de fungos e bactérias dos documentos (quem tem problemas respiratórios sabe muito bem o mal que isso provoca) ou pela ação oxidante que o suor das mãos pode causar nos papéis.

2º Outro coisa curiosa, que está presente no “Regulamento de Uso” da biblioteca, é que o acesso ao acervo é restrito aos funcionários, ninguém a não ser eles podem pegar os livros nas estantes. Na prática a consulta do visitante ao acervo funciona da seguinte forma: o sujeito se dirige ao funcionário da biblioteca que está em um guichê de atendimento, dá o nome o livro que ele quer consultar e o funcionário vai até às estantes procurar o livro solicitado, isso porque não há um sistema de consulta e localização das obras informatizado, logo, o funcionário tem que ir direto ao acervo e procurar livro por livro até achar o que foi solicitado. O argumento para tal sandice é de que os leitores deixariam as estantes desarrumadas se tivessem acesso a elas.

Dessa forma, não há como o visitante saber dos livros que estão presentes no acervo (que é cercado por grossas placas de vidro), além de não poder circular pelas estantes dos livros não há um catálogo com todas as obras presentes (nem a biblioteca sabe quais os livros que tem), ou seja, procurar um livro é um tiro às cegas.

Ao conversar com uma funcionária descobri que essa restrição é feita inclusive a quem for fazer pesquisa acadêmica e o empréstimo de livros também fica vedado, exceto ao setor de Literatura Geral, onde é permitido a entrada dos leitores e o empréstimo dos livros. Não consegui obter respostas se há uma proposta de mudança do sistema de consulta aos livros e como esta forma de consulta está no regulamento de funcionamento da biblioteca, acredito que não será mudada. 

Desanimado por conseguir ver os livros somente através de um vidro, retirei-me de lá.

A reinauguração da biblioteca, feita na penumbra, é claramente uma forma de esconder tais falhas e calar a boca das pessoas que protestavam pela abertura do local há algumas semanas atrás, a incompetência do governo do estado em entregar uma biblioteca totalmente acessível é gritante. O espaço onde a educação e conhecimento deveriam circular da forma mais livre possível, é cercado de burocracias irracionais e completamente fora das propostas de democratização do conhecimento que ocorrem em outras bibliotecas e museus do Brasil e no exterior.

Portanto amigos, a biblioteca continua mais fechada do que nunca, ou melhor, aberta, mas para “inglês” ver.

Foto: Soraia Magalhães
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

1 comentários:

Clique aqui para comentários
Obrigado pelo seu comentário