MUSEU PABLO NERUDA - ISLA NEGRA - CHILE


Há poucos dias soube que a Quarta Literária da Livraria Valer em Manaus, realizaria uma palestra sobre a obra Canto Geral, de Pablo Neruda, ministrada pelo poeta Thiago de Mello, infelizmente devido a uma tosse incontrolável não pude ir...


Mas por causa disso senti vontade de escrever sobre um dos lugares mais bonitos que visitei: o Museu Pablo Neruda, localizado em Isla Negra, cidadezinha litorânea localizada a 120 km de Santiago, no Chile.


Isso aconteceu numa belíssima viagem que realizei em 2008 quando percorri uma porção de cidades desse país. A motivação para conhecer o museu, se devia a leitura do livro "O carteiro e o poeta" de Antonio Skármeta.

Na trama, Skármeta aproxima um carteiro (homem simples do povoado), do grande escritor Pablo Neruda. Em meio a uma série de problemas de cunho político, o carteiro aspirante a poeta (ele quer aprender a escrever poesia para conquistar a sua amada) constrói uma bela amizade com o poeta. 

O livro tem como parte do cenário justamente a casa e o mar que era uma das paixões de Neruda. O visual é magnífico, com cores tão harmoniosas que fazem o lugar ainda mais apaixonante. 


Não é possível fotografar o interior do Museu. Os funcionários por lá são absolutamente rigorosos haja vista que o local é cheio de pequenas e grandes relíquias, pois Neruda colecionava inúmeros objetos, desde conchas, garrafas, fotografias, estátuas (que serviam para adornar embarcações antigas) e um mundo de coisas mais.


O Museu recebe grande quantidade de turistas todos os dias e creio que todos saem da experiência muito admirados com a capacidade de adquirir e guardar coisas que Neruda possuía  Sua casa mais se parece com uma loja ou um grande cenário.

Mas é uma casa lindíssima e foi dedicada a sua terceira mulher, Matilde Urrutia. Desde de que foi transformada em museu, corresponde ao principal atrativo da localidade. 


Inspirada pelo livro O carteiro e o poeta, fiz questão de fazer essa foto (abaixo) junto a uma representação de uma caixa postal...Geralmente não coloco tantas fotos minhas nas postagens, contudo na época não pensei que as imagens seriam usadas para ilustrar uma matéria por isso estou em vários cenários. 


No Chile existem três casas museus abertas à visitação onde Pablo Neruda viveu. Fico feliz por ter conhecido ao menos uma... As outras duas estão localizadas em Santiago e Valparaíso.


Fecho essa postagem de uma forma diferente, compartilhando a leitura de um dos mais belos poemas desse grande poeta.

.....

O teu riso


Tira-me o pão, se quiseres,

tira-me o ar, mas não

me tires o teu riso.


Não me tires a rosa,

a lança que desfolhas,

a água que de súbito

brota da tua alegria,

a repentina onda

de prata que em ti nasce.


A minha luta é dura e regresso

com os olhos cansados

às vezes por ver

que a terra não muda,

mas ao entrar teu riso

sobe ao céu a procurar-me

e abre-me todas

as portas da vida.


Meu amor, nos momentos

mais escuros solta

o teu riso e se de súbito

vires que o meu sangue mancha

as pedras da rua,

ri, porque o teu riso

será para as minhas mãos

como uma espada fresca.


À beira do mar, no outono,

teu riso deve erguer

sua cascata de espuma,

e na primavera, amor,

quero teu riso como

a flor que esperava,

a flor azul, a rosa

da minha pátria sonora.


Ri-te da noite,

do dia, da lua,

ri-te das ruas

tortas da ilha,

ri-te deste grosseiro

rapaz que te ama,

mas quando abro

os olhos e os fecho,

quando meus passos vão,

quando voltam meus passos,

nega-me o pão, o ar,

a luz, a primavera,

mas nunca o teu riso,

porque então morreria.


Pablo Neruda
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário