BIBLIOTECA MACHADO DE ASSIS - VILA PORÃ


Repare na fachada da Biblioteca Comunitária Machado de Assis - Vila Porã, localizada em Belo Horizonte. Instalada em uma edificação de dois pisos, com paredes pintadas nas cores amarelo e cinza, chama atenção pela harmonização e cuidado não apenas expressivo do lado de fora, mas pelas ações que são realizadas em sua área interna.


O espaço está inserido entre os corredores labirínticos do Beco Dona Ana, por isso a experiência gerou a sensação de efetivamente estar caçando uma biblioteca, ação que ocorreu no dia 2 de outubro desse ano. O momento foi tão bacana e oportuno, que posso incluí-la na lista das bibliotecas que mais amei ter conhecido em 2019. 


E o que me encantou logo de chegada foi ver de perto o sensível trabalho da Camila  Roque, estudante do Curso de Biblioteconomia na UFMG, que lida de forma serena e firme com as atividades ali desenvolvidas. Gostei também da representação lúdica dos cartazes com dizeres que instigam pensar as bibliotecas como espaços muito além dos livros. 


No ambiente, a proposta parecia instigar a percepção de que as bibliotecas são espaços para criação e era o que de fato estavam fazendo o João Marcelo e José Arthur, dois usuários frequentes que desenvolviam ao redor dos livros, atividades manuais, elaborando pulseiras com barbantes.


Naquele dia, eu havia levado para doar para a Biblioteca um exemplar do meu livro infantil "Leo e seus amigos, os livrinhos" e diante dos meninos e da Camila realizei uma pequena leitura, depois foi a vez deles lerem e apreciarem as ilustrações do Bernardo Bulcão. 
 

De acordo com informações obtidas via página do Facebook:
A Biblioteca Vila Porã foi criada por voluntários da comunidade e funcionou por muitos anos, porém teve que encerrar suas atividades por falta de recursos. No dia 01 de março de 2019, a Biblioteca Machado de Assis da Vila Ponta Porã reabriu suas portas graças ao financiamento pelo Fundo da Lei Municipal de Incentivo a Cultura de Belo Horizonte, através do projeto 0114/2017. A Biblioteca presta serviços à comunidade como leitura local, empréstimo domiciliar, oficinas, hora do conto (todas as sextas-feiras), além de atividades e brincadeiras lúdicas que visam estimular a leitura para os membros que visitam diariamente o nosso espaço.
Todo o ambiente parecia muito caprichado e chamava a atenção por representar ali um oásis cultural. Na imagem feita da janela, da parte superior de uma sala da Biblioteca foi possível perceber a divisão geográfica do lugar e o estado de conservação de cada um dos lados.


A visita à Biblioteca teve duração de quase duas horas e foi efetivamente uma alegria observar a animação das crianças em torno dos livros infantis, bem como a forma de atuação da Camila mediando leituras. 


A Biblioteca conta com um acervo de livros infantis de encher os olhos e as crianças vibravam folheando e admirando as ilustrações das obras que iam sendo apresentadas.


Nas minhas andanças com o Caçadores de Bibliotecas já visitei ambientes luxuosos, mas também muito simples, além de espaços apáticos ou inspiradores e nesse caso, pensando em termos de comparativos, posso dizer que essa pequena biblioteca tem muito de vitalidade.


Soube que o espaço é parceiro da Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias, organismo que tem feito bibliotecas acontecerem e a qual desejo muita força e resistência para que continuem a empreender a criação de mais bibliotecas desse tipo alocadas nos bairros das cidades do Brasil.


Durante a estada na Biblioteca algumas das fotos foram feitas pelas crianças com minha câmera fotográfica. Eles gostaram da experiência e eu particularmente me sinto grata  por dispor desses registros, do encontro com a jovem Camila.


Foi a segunda vez que a encontrei por meio do Caçadores de Bibliotecas, a primeira vez ocorreu em 2016 em um dos corredores da Escola de Ciência de Informação da UFMG. (veja aqui).

De tudo que experimentei nessa tarde devo dizer que ao sair dali acompanhada com Camila, sentia satisfação por ter visto a essência do fazer bibliotecário numa biblioteca comunitária, por isso a escolha da Biblioteca Machado de Assis da Vila Ponta Porã, para fechar esse ano. 

Que possamos em 2020 apoiar o nascimento de outras bibliotecas comunitárias tão ativas quanto essa. 


Fotos: Soraia Magalhães, João Marcelo e Danielle Soares

Endereço: Beco Dona Ana, Vila União, 85, Santa Efigênia, 30285-420, Belo Horizonte, MG
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

2 comentários

Clique aqui para comentários
Unknown
admin
27 de dezembro de 2019 12:35 ×

Que lindo trabalho de cultura,socializacao e desenvolvimento.Parabens Camila!Por tudo que você tem realizado.

Responder
avatar
7 de outubro de 2020 10:28 ×

Camila estava fazendo um trabalho que deixava sementes.

Responder
avatar
Obrigado pelo seu comentário