TEMPO DE VIVER OUTRAS EXPERIÊNCIAS: DE MANAUS PARA BRASÍLIA


Daqui a poucos dias completará um mês que tomei a decisão de mudar de cidade, começar outro trabalho e aceitar novos desafios.

O convite para integrar a equipe do Programa Terra Legal do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) foi o ponta pé para mudar para a capital do país e dar início a um trabalho voltado para a organização de um fundo documental de regularização de terras na Amazônia Legal.

Quando aceitei, sabia que o trabalho não tinha nada a ver com bibliotecas e que seria realizado nos Escritórios do Terra Legal. Para tal, visitei durante o mês de março as cidades de Marabá, Santarém, Manaus, Porto Velho e Belém para compor um quadro diagnóstico dos acervos documentais e para conhecer mais do Programa.

Contudo, apesar de ter gostado dos desafios, não atuarei no Terra Legal e sim no Programa Arca das Letras do Ministério do Desenvolvimento Agrário, tendo em vista ter participado de uma seleção e sido aprovada como Consultora. O que é o Arca das Letras?

De acordo com o site do MDA é um Programa:
Criado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) em 2003, o programa Arca das Letras promove o acesso à leitura por meio da implantação de bibliotecas nas comunidades rurais brasileiras. Atende famílias de agricultores, assentados da reforma agrária, pescadores, quilombolas, indígenas e populações ribeirinhas.
Escrevo isso porque tenho recebido muitos convites para apresentar em escolas da rede pública ou privada meu livro Lia sempre lia e tenho explicado de forma individual que em decorrência de não estar morando em Manaus, esse trabalho não é possível no momento.

O objetivo dessa postagem é entre outras coisas informar, comemorar e compartilhar a alegria dessas conquistas e desde já deixar claro que será um grande prazer ajudar a gerar democracia informacional para os moradores das áreas rurais do nosso país.


Foto: Camila Magalhães
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário