2016: APESAR DO GOLPE, COISAS A AGRADECER


Gosto de deixar agradecimentos em tom de retrospectiva pelo ano que se encerra, contudo, devo dizer que 2016 foi um ano dos mais difíceis, especialmente pelo desenrolar das manobras políticas que projetaram decadente capítulo na história do Brasil, com o impeachment da presidente Dilma Rousseff e suas consequências.

Mas, apesar de reconhecer tantos problemas, o objetivo dessas linhas é bem mais agradecer e, mesmo em meio aos dessabores, valorizar as alegrias e destacar momentos que foram brindados como oportunidades, dentre os quais:
  • Ter podido estar em minha Manaus entre abril e junho desse ano e ter o colo da minha mãe e o encontro com meu filho Phellipe e amigos queridos;
  • Ter visitado quatro cidades do Amazonas (que fazem parte de meus estudos e pesquisas), bem como a oportunidade de conhecer pessoas que admiro por meio das escritas e das redes sociais, seja no Bibliocamp Recife e EDICIC BH, como por exemplo, o Professor Oswaldo F. de Almeida Junior;
  • As novas amizades que chegaram para acalentar meu coração em Belo Horizonte (são vocês Kellen e Bergato) e as experiências com a cidade, algumas vezes ao lado de minha filha Camila;
  •  A alegria de ganhar novos amigos em Estocolmo (Célia e Luz), bem como fortalecer uma amizade que me emociona (Regina), muita grata por todo o carinho e acolhida;
  • Nesse ano viajei bem mais do que poderia imaginar, percorri cidades do Brasil e cidades em quatro novos países além do período passado na querida Estocolmo e assim visitei muitas bibliotecas, museus, espaços de cultura e paralelo a isso, estudei (livros e artigos), sim, estudei...e mesmo com as dificuldades peculiares de quem estuda a distância, tenho avançado. Li sobre bibliotecas e políticas públicas. Mas li também muita literatura e me sinto feliz por isso;
  • Estar junto ao meu querido escudeiro Peter Janzon me faz feliz. Peter a quem recebo sempre muito carinho, amizade, amor. Obrigada por suas palavras de incentivo, obrigada por me dizer VAI, assim eu tenho ido!
Enfim, 2016, foi um ano de irmos para a rua lutar por nosso Brasil e não creio que 2017 será diferente, por isso não perco a oportunidade de dizer #foratemer.

Deixo expresso agradecimentos a todos que seguem o meu trabalho no Caçadores de Bibliotecas, a todos, desejo um 2017 de muito mais tranquilidade, amor e paz.

Foto: Peter Janzon  (imagem do interior da Biblioteca Pública de Santos)
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário