LEITURAS NA ESCOLA DA SERRA, EM BELO HORIZONTE


No dia 1 de outubro de 2019, tive a oportunidade de visitar a Escola da Serra, em Belo Horizonte e entre tantas coisas interessantes que ali encontrei, destacava-se um grafite com a imagem de Marielle Franco*, contida na sala onde aconteceram as atividades de mediação de leitura de meus livros infantis Lia sempre lia e Leo e seus amigos, os livrinhos.  Senti grande empatia!


A visita a Escola da Serra, surgiu do convite da Bibliotecária Pâmela Bastos, que atua na Escola e tem enorme capacidade de articulação cultural, não restringindo sua área de atuação ao aspecto técnico do campo biblioteconômico. Pâmela cria e executa, além de ser generosa ao abrir espaço para os colegas. Um ser humano especial que creio, deixará sua marca na Escola da Serra, espaço educacional da cidade de Belo Horizonte, que se define da seguinte forma:
- Nossa cultura é a do diálogo, da tolerância, do respeito à diferença, da valorização da individualidade, da diversidade, repudiando-se qualquer forma de preconceito, discriminação ou exclusão.
- Nosso processo de avaliação, permanente e processual, fundamenta-se na construção de competência e sabedoria, não só na repetição de informação.
- A ação educacional visa à formação integral do aluno, buscando desenvolver, além do aspecto intelectual e físico, a sensibilidade de percepção e a criatividade de expressão.
- A Escola da Serra propõe um ensino capaz de formar cidadãos éticos, solidários, criativos, críticos, autoconfiantes e autônomos.
A Escola da Serra possui ambiente leve, nada apresenta aspecto sufocante, inclusive os livros estão em estantes por várias partes, numa proposta mais aberta, contudo, se me permitem uma opinião como bibliotecária, creio que a adoção de um espaço convencional de biblioteca escolar poderia favorecer a criação do hábito de frequentar esses ambientes que quando bem mediados exercem enorme capacidade de criação. 


Quanto ao meu trabalho com livros infantis, tenho levado para os espaços onde realizo atividades, alguns bonecos  representado a Lia e o Leo, são na verdade objetos que ganhei de presente por lugares por onde passei. As crianças sempre gostam de vê-los junto aos livros. 


Lia sempre lia e Leo e seus amigos, os livrinhos, nasceram de experiências realizadas enquanto bibliotecária escolar, quando atuei no Colégio Imaculada Conceição, em Belo Horizonte, lugar que me deu bons amigos e onde vivi grandes experiências. Na época em que escrevi os textos, pensava buscar mecanismos de apoio para tocar o tema livros e leituras de uma forma lúdica e agradável com os pequenos leitores em formação. Foi assim que nasceu essa relação Bibliotecária/Escritora. 


E procuro instigar a atenção dos pequenos por meio da leitura de imagens, ciente de que o texto produzido em forma de narrativa poética tem efeito muito maior para aqueles que estão realizando a ação ou mediação, no caso com os pequenos, a ideia é mesmo promover a leitura visual. Por meio dessa dinâmica eles geralmente participam de uma maneira cativante. 

Segue alguns registros dessa tarde tão bacana que vivi junto às crianças
na Escola da Serra!!!











Agradeço a equipe de comunicação da Escola da Serra, às professoras que foram tão amáveis e em especial à Pâmela Bastos por sua dedicação por favorecer com que esse momento se tornasse memorável.  

Fotos: a maioria de Pâmela Bastos.

Escola da Serra
Endereço: R. do Ouro, 1900 – Serra, Belo Horizonte – MG, 30210-590
Tel: (31) 3263-6363 Whatsapp: (31) 8449-7767

* Vereadora e ativista Marielle Franco, brutalmente assassinada em março de 2018.
Proxima
Esta é a mais nova atual página
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário