SOBRE EVENTOS, FALAS E RETROSPECTIVAS


Apesar do grande prazer que sinto em trabalhar com o Caçadores de Bibliotecas, esse ano produzi pouco, ainda que tenha ampliado o número de bibliotecas visitadas, tive que divulgá-las no Instagram,  em detrimento de outras atividades.

O tempo é implacável e o desejo de terminar outras demandas se fez latente, contudo, optei por deixar aqui o registro de 4 momentos interessantes que vivi nesse ano de 2018, onde pude falar sobre meus estudos voltados para o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas no Amazonas, bem como expressar a militância e a luta pela democracia em meio a tantas perdas sofridas no Brasil.

A imagem acima refere-se às II Jornadas de Estudiantes de Ciencias de la Documentación que ocorreram nos dias 17 e 18 de maio na Universidade Complutense de Madrid. Optei por abrir esse post com essa imagem por que me alegra a precisão do registro, feito após o encerramento da minha fala. Um fechamento com um expressivo #LULALIVRE.


XV Congreso Internacional de Información, Info'2018


Esse outro momento aconteceu durante o XV Congreso Internacional de Información, Info'2018, ocorrido entre os dias 5 e 9 de março de 2018, no Palácio de Convenções, em Havana, Cuba. O país me encanta, os cubanos são sempre gentis, o país como todos os outros tem seus problemas, mas desenvolvem uma expressiva atuação bibliotecária. Experiências como essas são sempre válidas e criam novos olhares e aprendizados e foi interessante poder falar sobre Tefé, no Amazonas e sobre a atuação positiva da Biblioteca Pública desse município, onde parto da ideia de que foram as iniciativas em torno da mediação da informação que tornaram possível o êxito do trabalho que lá vem sendo realizado. 

Infelizmente não foi possível obter uma imagem final dessa apresentação, porém reproduzo o Power Point que expressava um visível #FORA TEMER. 



A vivência em Havana, entre outras coisas boas me trouxe a oportunidade de conhecer a pesquisadora paulista Ellen Valotta Elias Borges, a quem guardo muito carinho. A Ellen é a moça que está de amarelo na ponta da mesa da imagem acima.


24 Horas das Bibliotecas Escolares


Um dos eventos mais bacanas que participei esse ano aconteceu em Oliveira de Azeméis, Portugal. Com o nome 24 horas das bibliotecas Escolares, o evento tinha programação intensa e foi a oportunidade de estar diante de três pessoas que já sentia amizade e admiração por suas ações pelas redes sociais: José Rosa, Sandra Barão Nobre e Nuno Marçal. O evento organizado por Rosa, contou com uma ação que trazia o título "Livros, Leituras & Leitores" e minha participação foi falar das leituras que moldaram o meu caminho, bem como das aventuras vividas com o Caçadores de Bibliotecas. 


Foi também uma pequena oportunidade de contar como a mídia manipuladora tem criado tantos problemas no Brasil ao ponto de gerar a retirada de direitos de grande parcela do povo brasileiro com a destituição da presidenta Dilma Rousseff, seguida da prisão do ex-presidente Lula da Silva e agora a eleição de um presidente inominável.


13.º Congresso BAD



Por fim, tive também a oportunidade de participar do 13.º Congresso da BAD (Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas) que aconteceu na cidade do Fundão, entre 24 a 26 de outubro, em Portugal com o lema Sustentabilidade e Transformação. O evento que reuniu 405 profissionais, entre tantas palestras, teve uma que me tocou fortemente, proferida por Jaime Melo Baptista, engenheiro civil especializado em engenharia sanitária, que trouxe a reflexão Dá-me um copo de água, por favor?

Sua fala, ao tratar questões envolvendo sustentabilidade, alertava que uma boa gestão hídrica poderia exercer forte impacto na redução da pobreza. Meu pensamento voltou-se imediatamente para a condição das cidades do Amazonas, que possuindo rico manancial hídrico, muitas das cidades vivem  em condição de pobreza motivada por grave descaso em termos de políticas públicas, inclusive sem de fato possuírem bibliotecas públicas. 

É preciso fortalecer o acesso a informação e em meio a tantos estudos interessantes, especialmente os voltados para o campo das bibliotecas públicas, saí da experiência da BAD ainda mais convicta de que a implantação de bibliotecas com pessoal engajado é um dos caminhos que pode minimizar o quadro de injustiças informacionais que o Brasil atravessa. Fechei minha apresentação com a imagem abaixo. Essa atividade apresentação aconteceu no dia 25 de outubro, dia 26 era eleição no Brasil... infelizmente, deu no que deu.

No evento da BAD tive a oportunidade de conhecer a bibliotecária paulista Érica Alves Santos, outra querida. Juntas pudemos desfrutar de bons momentos, em especial a visita à Biblioteca Municipal Eugénio de Andrade onde conhecemos as talentosas Gabriela Antunes e a Angelina Oliveira. Trabalho muito bonito das duas. 

O ano de 2018 foi intenso, pena que também angustiante por assistir de longe toda a trajetória de perdas para o povo brasileiro.

Fotos 1 -  Heloá Oliveira
Foto 2 - José Antônio Frias
Foto 3 - Nuno Marçal
Foto 4 - Érica Alves Santos
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário