MUSEU DA ACRÓPOLE - ATENAS


A coleção do Museu da Acrópole, como seu nome sugere, consiste basicamente dos achados arqueológicos da própria Acrópole.


Com o inicio do programa de conservação dos monumentos da Acrópole (o Partenon, o templo de Atena Niké e o Erecteion) em 1975, as esculturas originais, que ainda se encontravam nas ruínas, foram substituídas por réplicas e transferidas para o museu.

Tivemos a oportunidade de visitar três vezes o Museu da Acrópole (2007, 2009 e 2014) e conhecemos dois museus completamente diferentes.

O primeiro Museu da Acrópole foi fundado por decreto em 1863 e a sua construção teve inicio um ano mais tarde, na Acrópole de Atenas, onde antes existiu um santuário dedicado a Pandion. O espaço foi concluído em 1874 e tinha apenas 800 m², distribuídos em oito salas de exposição. A sua entrada era bem discreta, incrustada na rocha e adentrando o subsolo, atrás do Partenon. 

As fotos abaixo foram feitas nesse museu antigo, onde era permitido fotografar todo o acervo. Hoje, no museu novo, a maioria dessas peças não podem mais ser fotografadas,

Em 2007 o museu foi fechado e uma nova sede foi inaugurada em 2009 a cerca de 300 metros da Acrópole.

As novas instalações têm cerca de 25 mil m² e foram projetadas pelos arquitetos Bernard Tschumi e Michalis Fotiadis. Sua configuração estrutural privilegia o contato visual com os próprios monumentos da Acrópole, a exibição total da arquitetura original do Partenon e a adaptação do edifício às escavações arqueológicas realizadas em sua base.

As fachadas de vidro do edifício propiciam o contato visual entre as esculturas do Partenon expostas no museu e o próprio monumento. No interior da "Sala do Partenon" se encontra um núcleo retangular de concreto com as mesmas dimensões e orientação que a câmara da estátua da deusa Atena, especialmente projetado para exibir o grande friso do templo em sua totalidade. Mas não exibe. Parte dos frisos e das esculturas das Métopes (painéis que decoravam o exterior do templo) foram arrancados no século 19 por Lord Elgin, então embaixador britânico junto à Grécia sob domínio otomano. O resultado da pilhagem pode ser apreciado e criticado no Museu Britânico, apesar dos apelos da Grécia pela sua devolução. 

As escavações para os alicerces revelaram vestígios de construções pavimentadas de mosaicos, que foram mantidos para visitação.

O Museu exibe suas coleções em três níveis básicos:

Galeria das encostas da Acrópole: montada em um espaço que sugere a subida da colina, com obras de arte, objetos de culto e de uso cotidiano e vestígios de antigas habitações e santuários que se localizavam nas bases e encostas da Acrópole.

Galeria Arcaica: achados do período arcaico, caracterizado pela formação do modelo da pólis e a transição do governo aristocrático para o democrático. Não é permitido fotografar as obras nesse espaço.

Propileu, Atena Nike, Erectéion: exibe peças oriundas da escadaria monumental que dá acesso à Acrópole (Propileu) e peças do templo de Atena Nike (incluindo as cariátides) e  do templo do Erectéion.

Esta peça ainda conserva suas cores originais. As estátuas gregas eram pintadas em cores vibrantes, mas na maioria dos casos o pigmento não sobreviveu ao tempo ou à ação humana.

Galeria do Partenon: exibe as peças relacionadas ao templo, incluindo originais e cópias de fragmentos que pertencem às coleções de outros museus.




No nível 2 abriga um espaço multimídia, uma das lojinhas do Museu, restaurante e um grande terraço com vista para a Acrópole.

Infelizmente o espaço do Museu não conta com uma biblioteca. Quem sabe no próximo edifício...

Contamos um pouquinho das viagens à Atenas no nosso blog Chatos pra Viagem - http://chatosviagem.blogspot.com.br/2014/10/atenas.html.

Fonte: http://www.theacropolismuseum.gr/en

Fotos: José Estorniolo Filho e Marina Macambyra, exceto as de número 20, 21 e 22 




Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário